Veado - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Veado


  Zoologia
A extrema timidez do veado dß lugar, durante o cio, Ó agressividade contra o rival. A disputa por uma fÛmea leva os machos a violentas lutas em que, ocasionalmente, terminam presos pelos chifres atÚ a morte por inaniþÒo.
Veado Ú o nome comum de vßrios mamÝferos artiodßctilos da famÝlia dos cervÝdeos. Caracteriza-se pelas pernas esguias e pelos chifres que os machos de quase todas as espÚcies ostentam. O corpo Ú gracioso e compacto; o rabo, curto; as orelhas, grandes e finas; e o pÛlo, liso. As florestas sÒo o habitat preferido do veado, que pode tambÚm ocorrer em desertos, planÝcies e montanhas. Existem cerca de trinta espÚcies, em 16 gÛneros, que se distribuem pela AmÚrica, Europa, algumas regi§es da ┴sia e norte da ┴frica.
As fÛmeas e crias vivem sempre agrupadas em manadas, enquanto os machos adotam periodicamente hßbitos solitßrios. Animais herbÝvoros, alimentam-se de toda espÚcie de ervas, brotos, folhas, liquens, musgos, plantas aqußticas e cascas. Mais ativos de manhÒ cedo e no fim da tarde, descansam Ó noite e ao meio-dia. O perÝodo de gestaþÒo varia de cinco a dez meses, de acordo com a espÚcie, e a cada vez nasce apenas uma cria, sendo mais raros os partos duplos. A exceþÒo Ú o Hydropotes inermis, da China, uma das duas ·nicas espÚcies sem chifres, que pode ter atÚ sete crias por gestaþÒo.
Os chifres dos veados, ao contrßrio dos de outros ruminantes, sÒo divididos em duas partes: uma base ou ped·nculo, resistente e coberta de pÛlos; e o corno, que cai e se renova a cada ano. O animal jovem, com chifres que apenas despontam num pequeno relevo, Ú chamado veado estaqueiro. Os cornos novos sÒo recobertos de pele enquanto crescem rapidamente. Seu desenvolvimento se completa antes da Úpoca do acasalamento. A muda dos chifres inicia-se com a reabsorþÒo do material ¾sseo de sua base pelo corpo do animal, o que produz uma irritaþÒo que leva o veado a esfregß-los em superfÝcies duras atÚ desprendÛ-los. A forma dos cornos varia de acordo com a espÚcie e a idade. Os maiores e mais complexos sÒo caracterÝsticos da juventude.
O tipo mais comum de veado Ú o Cervus elaphus, que atinge no mßximo 2,5m de comprimento e 1,5m de altura. A cor do pÛlo varia de acordo com as estaþ§es: pardo ou castanho no verÒo, adquire no inverno um tom acinzentado. Ocorre na ┴sia, Europa e norte da ┴frica. Entre as espÚcies asißticas, estÒo o Muntiacus muntjak, de pequeno porte; e o Cervus nippon, que vive no sul da China e no JapÒo.
Entre as seis espÚcies brasileiras, trÛs apresentam galhadas e trÛs, chifres simples. Estes ·ltimos, pertencentes ao gÛnero Mazama, sÒo o veado-vermelho ou mateiro (M. americana), o mais comum, que ocorre nas matas; o veado-catingueiro ou virß (M. simplicicornis), do cerrado; e o veado-roxo, garapu ou joboca, designaþÒo comum a duas espÚcies semelhantes (M. rufina e M. rondoni). O cervo (Blastocerus dichotomus) do Centro-Oeste, com cerca de dois metros de comprimento, Ú o maior dos veados galheiros. O veado-campeiro (Ozotocerus bezoarticus) Ú comum em toda a regiÒo central do Brasil e o cariacu ou veado-galheiro do norte (Odocoileus virginianus cariacus) vive nos campos do norte do rio Amazonas e no Amapß.
Os veados sÒo caþados para aproveitamento de sua carne e de seu couro, assim como pelos chifres, de material semelhante ao osso, que servem como trofÚus e peþas de decoraþÒo. Algumas espÚcies sÒo domesticßveis e utilizadas para traþÒo ou montaria. Delas aproveita-se tambÚm a carne, o couro e o leite.

Veja também: