Transformador - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Transformador


  Biofísica
Entre as múltiplas aplicações dos transformadores de corrente elétrica, destaca-se a função dos modelos com núcleo de ar, projetados para transferir as correntes de transmissão de freqüências de rádio e tornar possível a escuta nos receptores.
Transformador é todo dispositivo capaz de transferir a energia elétrica proveniente de uma fonte de corrente alternada para um ou mais circuitos elétricos com tensão (diferença de potencial elétrico) superior ou inferior à inicial. Sua aplicação se estende a múltiplas finalidades. Entre elas mencionam-se: a redução da tensão de linhas domésticas para uso em aparelhos de baixa tensão, como brinquedos elétricos e eletrodomésticos; a elevação da tensão de geradores elétricos para transmissão da eletricidade a longas distâncias, a fim de facilitar seu transporte e diminuir as perdas; e a posterior transformação dessa eletricidade para voltagens inferiores para utilização prática.
Os transformadores desempenham sua função de variação da tensão por meio do fenômeno conhecido como indução eletromagnética, pelo qual toda corrente elétrica nele aplicada produz ao redor de seu condutor um campo magnético de intensidade proporcional à intensidade da corrente elétrica. Reciprocamente, os campos magnéticos variáveis existentes nas vizinhanças do material condutor induzem nele uma corrente elétrica de intensidade proporcional à magnitude da variação do campo elétrico.
Em sua forma mais simples, um transformador consiste de duas bobinas, isoladas entre si e enroladas num núcleo de aço-silício laminado, comum às duas. Formam-se, assim, três circuitos distintos: dois elétricos, que correspondem a cada uma das bobinas, e um magnético, formado pelas linhas de força que percorrem o núcleo metálico do transformador. Chama-se comumente de primário o circuito ao qual se aplica a corrente que se quer transferir, ou cuja tensão se deseja alterar, e de secundário aquele onde se forma a nova corrente.
As bobinas primária e secundária têm número distinto de espiras. A corrente procedente do exterior atravessa a bobina primária, na qual induz um campo magnético que afeta a bobina secundária e nela cria uma corrente induzida que se comunica com o circuito de saída. Para se determinar o valor da tensão de saída, multiplica-se a tensão de entrada pelo número de espiras da bobina secundária e divide-se o número obtido pelo número de espiras da primária. A relação entre os números de espiras das bobinas se denomina razão do transformador.
-online-today

Veja também: