TECIDO MUSCULAR LISO: CARACTERÍSTICAS GERAIS - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Conheça o Gerador de Slides do BioMania - Saiba mais...

TECIDO MUSCULAR LISO: CARACTERÍSTICAS GERAIS


  Histologia

O tecido muscular liso é formado por longas células fusiformes, que podem medir de 5 a 10 µm de diâmetro por 80 a 200 µm de comprimento. O tamanho e o número dessas células podem variar bastante, como no útero grávido, por exemplo, que apresenta hiperplasia (aumento do número de células) e hipertrofia (aumento do volume de cada célula).

Estas células geralmente estão dispostas em camadas, sobretudo nas paredes de órgãos ocos, como tubo digestivo, vasos sanguíneos, etc. Também podem ser encontrados no tecido conjuntivo de certos órgãos como próstata e vesículas seminais e no tecido subcutâneo de certas regiões como o escroto e os mamilos. Podem agrupar-se formando pequenos músculos individualizados (é o caso do músculo eretor dos pêlos), ou então constituindo a maior parte de um órgão, como no útero.

As células do tecido muscular liso apresentam apenas um núcleo central e são revestidas por lâmina basal e por uma rede muito delicada de fibras reticulares. Também encontramos no músculo liso vasos e nervos que penetram e se ramificam entre as células. Em corte transversal o seu aspecto é de um aglomerado de estruturas circulares ou poligonais que podem ocasionalmente apresentar um núcleo central. Em corte longitudinal percebe-se uma camada de células fusiformes paralelas. A contração da célula muscular lisa é involuntária e normalmente é lenta.

Seu sarcolema (membrana plasmática) apresenta uma grande quantidade de vesículas de pinocitose denominadas cavéolas, em diferentes estágios de formação, que contêm o Ca2+ a ser usado no processo de contração muscular. Frequentemente os plasmalemas de duas células adjacentes se aproximam muito formando uniões estreitas, do tipo zônula de oclusão e junções GAP (comunicantes).

Essas estruturas não só participam da transmissão do impulso nervoso de célula para célula, como também mantêm a união entre as células. Além disso, existe um núcleo longo e central por célula. Podemos observar na zona justanuclear do sarcoplasma, algumas mitocôndrias, elementos do retículo sarcoplasmático granular e grânulos de glicogênio. Também se encontra presente o aparelho de Golgi, pouco desenvolvido.

A célula muscular lisa apresenta feixes de miofilamentos que se cruzam em todas as direções, formando uma trama tridimensional, não demonstrando, os miofilamentos de actina e miosina, a mesma organização paracristalina encontrada nas fibras estriadas.

No músculo liso é possível uma sobreposição dos filamentos grossos e finos por maior extensão, o que permite grau maior de contração. Além dos filamentos de actina e de miosina, a célula muscular lisa exibe uma trama de filamentos intermediários que constituem uma espécie de matriz, participando do citoesqueleto.

As células musculares lisas não possuem sistema T e seu retículo sarcoplasmático (regulador do fluxo de cálcio) é extremamente reduzido. As vesículas de pinocitose são numerosas e desempenham um papel importante na entrada e saída do íon cálcio. Demonstrou-se recentemente que a célula muscular lisa, além de sua capacidade contrátil, pode também sintetizar colágeno do tipo III, fibras elásticas e proteoglicanas.

Existem terminações nervosas no músculo liso, mas o grau de controle da contração muscular pelo sistema nervoso varia. O músculo liso recebe fibras do sistema nervoso simpático e do parassimpático e não exibe as junções neuromusculares elaboradas que ocorrem apenas no músculo esquelético.

 



Veja também: