Salvador Dalí - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Salvador Dalí


  Biografias
As excentricidades e declaraþ§es provocadoras fizeram de Salvador DalÝ uma das mais polÛmicas figuras da arte contemporÔnea, mas nÒo impediram que sua obra fosse reconhecida como uma das mais audaciosas e apuradas da pintura surrealista.
Salvador Felipe Jacinto DalÝ nasceu em Figueras, Catalunha, na Espanha, em 11 de maio de 1904. Desde cedo revelou talento para o desenho e o pai, um tabeliÒo, mandou-o a Madri para estudar na Escola de Belas-Artes de San Fernando, da qual seria expulso anos depois. Na capital espanhola conheceu o cineasta Luis Bu±uel e o poeta Federico GarcÝa Lorca. Suas primeiras obras, como "Moþa Ó janela", enquadradas numa linha naturalista e minuciosa, jß produziam uma ambÝgua sensaþÒo de irrealidade, que se acentuaria posteriormente.
Em 1928, persuadido pelo pintor catalÒo Joan Mir¾, transferiu-se para Paris e aderiu ao movimento surrealista. Foi por essa Úpoca que conheceu a mulher do poeta Paul ╔luard, Gala, sua futura companheira e modelo. Colaborou entÒo com Bu±uel em dois filmes cÚlebres, Un chien andalou (1928; Um cÒo andaluz) e L"┬ge d"or (1930; A idade de ouro) e pintou algumas de suas melhores obras: "A persistÛncia da mem¾ria" e "O grande masturbador". Nelas exibia um estilo maduro que, embora mostrasse certas influÛncias de De Chirico, atestava absoluta originalidade como representaþÒo de um mundo onÝrico, povoado de alegorias metafÝsicas e imagens sexuais, apoiadas numa tÚcnica apurada.
Sua exposiþÒo de 1933 lhe deu fama internacional e DalÝ lanþou-se, entÒo, a uma vida social repleta de provocaþ§es e excentricidades. Essa atitude, por alguns considerada mistificadora e venal, aliada a uma postura apolÝtica, provocou sua expulsÒo do grupo surrealista. Durante esse perÝodo, adotou o "mÚtodo de interpretaþÒo paran¾ico-crÝtico", baseado nas teorias da psicanßlise, associando elementos delirantes e onÝricos numa linguagem pict¾rica realista, com freq³entes imagens duplas e objetos do cotidiano, como em "ConstruþÒo mole com ervilhas cozidas", "Praia com telefone", "Premoniþ§es da guerra civil", "Canibalismo de outono" e "O sono".
Durante a segunda guerra mundial, DalÝ radicou-se nos Estados Unidos, perto de Hollywood, e colaborou em alguns filmes. No final da dÚcada de 1940 regressou Ó Espanha e deu inÝcio a uma fase inpirada em obras-primas de pintores do passado, como "A ·ltima ceia", de Leonardo da Vinci, "As meninas", de Velßzquez, "Angelus", de Millet, "A batalha de Tetuan", de Meissonier, e "A rendeira", de Vermeer de Delft -- seu pintor favorito.
Posteriormente, alternou a pintura com o desenho de j¾ias e a ilustraþÒo de livros. Enquanto isso, sucediam-se as retrospectivas de sua obra (Nova York, 1966; Paris, 1979; Madri, 1982) e, Ó medida que diminuÝam suas apariþ§es p·blicas, a polÛmica dava lugar Ó renovaþÒo do interesse por sua pintura.
Em 1974 foi inaugurado em Figueras o Museu DalÝ. Oito anos depois morreu Gala, fato que incidiu negativamente sobre sua atividade artÝstica. Em 23 de janeiro de 1989, na mesma Figueras natal, morreu Salvador DalÝ.