Reino dos Protistas - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Reino dos Protistas


  Microbiologia

Protozoßrios e algas unicelulares eucariontes

Os protistas sÒo seres vivos unicelulares cuja cÚlula possui n·cleo organizado, ou seja, estß separado do citoplasma pela membrana nuclear. SÒo, portanto, organismos eucariontes. Na antiga classificaþÒo, os protozoßrios eram animais unicelulares e as algas unicelulares eucariontes pertenciam ao grupo dos vegetais. Os protistas sÒo representados pelos protozoßrios e pelas algas unicelulares eucariontes.

Os protozoßrios

   

Os protozoßrios sÒo seres vivos unicelulares,eucariontes e desprovidos de clorofila. Podem viver como parasitas ou ter vida livre, habitando os mais variados tipos de ambiente. Como parasitas do homem e de outros seres vivos, podem causar muitas doenþas.

A maioria dos protozoßrios apresenta reproduþÒo assexuada. Algumas espÚcies podem se reproduzir sexuadamente. Primeiramente, o n·cleo duplica-se. A seguir, a cÚlula estreita-se na parte central e, finalmente, divide-se em duas, dando origem a duas novas amebas.

Os protozoßrios foram classificados segundo o tipo e a presenþa ou nÒo de elementos especiais de locomoþÒo. Dessa forma, s protozoßrios sÒo divididos em flagelados, riz¾podes, ciliados e esporozoßrios. Os flagelados apresentam um ou mais de um flagelo.

Os flagelos sÒo longos filamentos que este tipo de protozoßrio utiliza para se locomover, vibrando-os num lÝquido. Muitos flagelados tem vida livre, outros sÒo parasitas e ocasionam doenþas no homem. O tripanossomo, a Leishmania e a gißrdia sÒo exemplos de flagelados parasitas.

Protozoßrios flagelados do gÛnero Trichonympha vivem no intestino de cupins, participando da digestÒo da celulose da madeira. Se o cupim nÒo contasse com a "ajuda" do protozoßrio, ele nÒo conseguiria aproveitar a celulose como alimento e morreria. Jß o protozoßrio encontra alimento farto e fßcil no intestino do cupim.

Essa relaþÒo entre duas espÚcies diferentes, em que hß benefÝcio para ambas as partes Ú chamada mutualismo. Os riz¾podes se locomovem e obtÛm alimentos atravÚs de prolongamentos do citoplasma chamados pseud¾podes (falsos pÚs). As amebas sÒo os principais representantes dos riz¾podes.

Algumas sÒo parasitas e outras tem vida livre. Um grupo especial de riz¾podes sÒo os foraminÝferos. Esses protozoßrios vivem na ßgua salgada e sÒo protegidos por carapaþas muito bonitas, ricas em cßlcio e silÝcio. Hß milh§es de anos existia grande quantidade desses seres no fundo dos mares. Seus restos foram sofrendo transformaþ§es durante milh§es de anos e contribuÝram para a formaþÒo de petr¾leo.

Atualmente, a descoberta de suas carapaþas Ú muito importante, pois indica que pode haver petr¾leo no local. Hß tÚcnicos em geologia - pessoas que estudam a origem e as transformaþ§es do globo terrestre -, que procuram descobrir, na terra ou no mar, os locais onde se encontram carapaþas f¾sseis desses protozoßrios. Os ciliados apresentam pequenos filamentos em volta do corpo chamados cÝlios, com os quais se movimentam e capturam alimentos. Um exemplo desse grupo Ú o balantÝdeo, um parasita que vive habitualmente no organismo do porco. Outro exemplo de ciliado Ú o paramÚcio, que vive na ßgua doce. Os esporozoßrios sÒo parasitas e nÒo se locomovem. Um dos mais conhecidos Ú o plasm¾dio, protozoßrio que provoca nos seres humanos a doenþa conhecida como malßria ou maleita.


Doenþas causadas por protozoßrios

Muitos protozoßrios causam doenþas nos seres humanos. Entre elas, estÒo a AmebÝase ou Disenteria Amebiana, a Doenþa de Chagas, a ┌lcera de Bauru, a GiardÝase, Malßria e Toxoplasmose.

AmebÝase

O homem adquire a AmebÝase ou Disenteria Amebiana ao ingerir ßgua ou alimentos contaminados por uma ameba, a Entamoeba histolytica. Esta ameba parasita principalmente o intestino grosso dos seres humanos, onde provoca ulceraþ§es e se alimenta de gl¾bulos vermelhos do sangue. No intestino, essa ameba se reproduz assexuadamente por cissiparidade e, algumas delas, formam cistos, estruturas que possuem uma membrana resistente e que contÛm alguns n·cleos celulares.

Eliminados com as fezes, os cistos podem contaminar a ßgua e alimentos diversos, como as verduras. Se forem ingeridos, esses cistos se rompem no tubo digestivo, libertando novas amebas, que recomeþam um novo ciclo.

As pessoas com amebÝase eliminam fezes lÝquidas, Ós vezes com sangue e quase sempre acompanhadas de fortes dores abdominais.

Para evitar essa doenþa Ú necessßrio ferver a ßgua que se vai beber e lavar muito bem as verduras e frutas, alÚm de cuidados higiÛnicos, como a lavagem de mÒos, principalmente antes das refeiþ§es.

Doenþa de Chagas

A Doenþa de Chagas Ú causada pelo tripanossomo (Trypanosoma cruzi), protozoßrio que vive no intestino de um percevejo sugador de sangue, conhecido popularmente como barbeiro. Esse percevejo vive em frestas de paredes, chiqueiros e pai¾is. └ noite, saem de seus esconderijos e vÒo sugar o sangue das pessoas que dormem. Quando alguÚm Ú picado pelo percevejo pode contrair a doenþa da seguinte forma: durante a picada, o barbeiro infestado elimina fezes contendo o tripanossomo. Coþando o local da picada, a pessoa espalha as fezes do barbeiro e introduz o parasita em seu organismo, atravÚs do pequeno orifÝcio feito pela picada. Uma vez na corrente sang³Ýnea, o tripanossomo atinge o coraþÒo. Ali ele se fixa, podendo causar a morte da vÝtima.

As principais medidas para evitar a doenþa de Chagas consistem em:

- Substituir moradias de barro e de madeira por outras de tijolos, que nÒo tenham frestas onde o barbeiro possa se esconder; e

- exigir, em transfus§es de sangue, a garantia de que o sangue doado nÒo esteja contaminado com tripanossomos.

┌lcera de Bauru

Doenþa que ataca a pele e as mucosas dos lßbios e do nariz produzindo muitas feridas, a ┌lcera de Bauru Ú provocada pela Leishmania brasiliensis, um protozoßrio parecido com o tripanossomo. Transmitida pela picada do mosquito fleb¾tomo, a doenþa Ú conhecida com esse nome, porque foi muito comum na cidade de Bauru, em anos passados.

GiardÝase

Provocada pela gißrdia (Giardia lamblia), flagelado que parasita o intestino humano, a doenþa geralmente causa fortes diarrÚias, podendo levar o doente Ó desidrataþÒo. ╔ transmitida atravÚs de ßgua e alimentos contaminados pelo protozoßrio. Evita-se essa doenþa com as mesmas medias utilizadas contra a amebÝase.

Malßria

A malßria Ú provocada por protozoßrios do gÛnero Plasmodium e Ú transmitida ao homem por meio da picada do mosquito, an¾fele, ao sugar-lhe o sangue para se alimentar. Durante a picada, o mosquito libera saliva, que contÚm o protozoßrio plasm¾dio. EntÒo o parasita entra no sangue da pessoa e se instala em ¾rgÒos diversos, como o fÝgado e o baþo, onde se multiplica. Ap¾s um certo perÝodo, os parasitas retornam ao sangue e penetram nos gl¾bulos vermelhos, onde voltam a se multiplicar. Os gl¾bulos parasitados se rompem liberando novos protozoßrios que passam a infectar outros gl¾bulos vermelhos.

A malßria provoca febre muito alta, que coincide com os perÝodos em que os parasitas arrebentam os gl¾bulos vermelhos, liberando toxinas na corrente sang³Ýnea. Se nÒo for combatida pode causar a morte do doente.

A pulverizaþÒo de c¾rregos, lagoas e poþas de ßgua parada, com inseticida, Ú uma das maneiras de combater os mosquitos transmissores da malßria. ╔ na ßgua que os mosquitos p§em seus ovos para se reproduzirem.

Toxoplasmose

A toxoplasmose Ú uma doenþa causada pelo protozoßrio Toxoplasma gondii. A transmissÒo se dß por contato com animais domÚsticos - principalmente gatos - ou por suas fezes.

As fezes dos gatos podem conter cistos (formas resistentes) do parasita, que sÒo disseminados por animais, como moscas e baratas. O homem adquire a doenþa quando ingere diretamente o cisto ou carne mal cozida que o contenha.

Os sintomas da doenþa sÒo, na maioria das vezes, muito semelhantes aos de vßrias outras doenþas: mal-estar, febre, dores de cabeþa e musculares, prostraþÒo e febre que pode durar semanas ou meses. Ap¾s alguns dias hß tambÚm aumento dos gÔnglios linfßticos em todo o corpo.

Normalmente, a doenþa evolui de forma benigna e desaparece sem deixar seq³elas no organismo. └s vezes, porÚm, pode causar les§es oculares, com perda parcial ou quase total da visÒo. DaÝ sua gravidade. Em mulheres grßvidas, o protozoßrio pode atingir o feto, provocando-lhe cegueira, deficiÛncia mental e atÚ mesmo a morte.

As algas unicelulares eucariontes

As algas sÒo importantes para o equilÝbrio ecol¾gico dos ecossistemas do alimento que nutre direta ou indiretamente os demais seres vivos aqußticos. AlÚm disso, as algas sÒo os grandes fornecedores do gßs oxigÛnio que abastece a vida aer¾bica no planeta. Na atmosfera ou dissolvido na ßgua, esse gßs se origina principalmente da atividade fotossintetizante das algas, especialmente as marinhas.

Entre as algas unicelulares eucariontes, destacaremos o grupo das euglenas, o das cris¾fitas e o das pirr¾fitas.

As euglenas sÒo algas unicelulares e clorofiladas que se locomovem atravÚs de um flagelo e vivem principalmente na ßgua doce, mas tambÚm na ßgua salgada.

As cris¾fitas, tambÚm conhecidas por algas douradas sÒo unicelulares, clorofiladas e vivem na ßgua doce ou salgada. Em sua maioria, sÒo representadas pelas diatomßceas, algas que tem o corpo protegido por uma carapaþa formada de sÝlica.

As pirr¾fitas sÒo algas unicelulares e geralmente marinhas. Algumas tem capacidade de emitir luz. Em noites escuras, vocÛ poderß ver pontinhos luminosos nas ondas do mar. SÒo pirr¾fitas do gÛnero Noctiluca apresentando o fen¶meno conhecido como bioluminescÛncia.

Certas algas, principalmente as pirr¾fitas, provocam um fen¶meno conhecido como marÚ-vermelha.

Em certas ocasi§es, as pirr¾fitas reproduzem-se exageradamente. Contendo uma grande quantidade delas, a ßgua do mar adquire um coloraþÒo avermelhada. Com esse excesso de populaþÒo, a quantidade de substÔncia t¾xica desprendida pelas pirr¾fitas se torna muito grande e mata milhares de peixes e animais aqußticos.

Um caso de marÚ-vermelha muito comentado no Brasil ocorreu em 1978, na costa dos estados do sul. Anßlises da ßgua colhida do mar revelaram a presenþa de cerca de 60 mil algas em cada litro.


Veja também: