Propagação do impulso nervoso - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Propagação do impulso nervoso


  Histologia

A propagação do impulso nervoso faz-se através do fluxo de íons, positivos e negativos, ao nível da membrana celular do axónio, o qual é facilitado por alterações da permeabilidade da membrana.

Num estado de repouso (ausência de estímulos) a superfície interna da membrana celular do Neurônio encontra-se carregada negativamente em relação à superfície externa da membrana, que se encontra carregada positivamente - polarização. A diferença de potencial elétrico entre as duas faces da membrana (potencial de membrana) deve-se, principalmente, à distribuição desigual dos íons de sódio (Na+) e potássio (K+) dentro e fora do Neurônio, por ação da bomba de sódio e potássio (bomba Na+/K+). Nestas condições o Neurônio tem um potencial de repouso.
Quando o Neurônio recebe um estímulo, a polaridade da membrana celular é trocada - despolarização -, devido à passagem do impulso nervoso, e o Neurônio passa a ter um potencial de ação.

Após a passagem do impulso nervoso, a membrana celular volta ao seu estado inicial polarizado - repolarização - e o Neurônio retoma ao seu estado de repouso - potencial de repouso.

A velocidade de propagação do impulso nervoso depende da estrutura do axônio. A condução do potencial de ação é progressivamente mais rápida em axônios de maior diâmetro e com bainha de mielina. Os axônios de maior calibre oferecem uma resistência menor ao fluxo do impulso nervoso. Nos axônios mielinizados, como a mielina isola eletricamente a membrana celular, o potencial de ação propaga-se apenas nos nódulos de Ranvier. Assim, o impulso nervoso propaga-se de nódulo em nódulo, numa condução saltatória, e não ao longo de toda a membrana do axônio, o que aumenta consideravelmente a velocidade de transmissão da informação.

O impulso nervoso propaga-se num só sentido, das dendrites para o corpo celular e deste para o axônio.

A transmissão do impulso nervoso de um Neurônio para outro ocorre através das Sinapses. Esta transmissão pode ocorrer diretamente - por propagação do potencial de ação do Neurônio pré-sináptico para o Neurônio pós-sináptico -, no caso das Sinapses elétricas, ou pela libertação de neurotransmissores - pelo Neurônio pré-sináptico para a fenda sináptica -, no caso das Sinapses químicas, que se ligam a receptores da membrana do Neurônio pós-sináptico.



Veja também:




Copyright © 1999 - 2021 - Development by Dolci Tecnologia. Todos os direitos reservados