Península Yucatán - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Península Yucatán


  Geografia Fisica

Relíquias preciosas das culturas maia e tolteca ainda são encontradas na península de Yucatán: as cidades de Chichén Itzá, Uxmal e Tulum, que ainda eram habitadas por descendentes de suas primitivas populações maias por ocasião da conquista espanhola.
A península de Yucatán é uma larga projeção do continente americano, na parte sudeste do México, e que parece sair ao encontro da ilha de Cuba, da qual está separada pelo canal de Yucatán. Suas costas são banhadas pelo golfo do México a norte e oeste e pelo mar do Caribe a leste. Seu território de 197.600km2 inclui os estados mexicanos de Campeche, Yucatán e Quintana Roo, assim como parte da Guatemala (região de Petén) e Belize. O litoral, com cerca de 1.100km de extensão, apresenta muitos pântanos e manguezais. No norte e oeste é baixo e semi-árido, porém a costa leste é mais recortada e pontilhada de ilhas, a mais importante das quais é Cozumel.
As civilizações maia e tolteca desenvolveram-se em Yucatán e ruínas de suas cidades e centros cerimoniais se distribuem pelo território. Em 1517, os espanhóis chegaram ao litoral e, dois anos mais tarde ali desembarcou Hernán Cortés. Devido à tenaz resistência dos indígenas, o domínio espanhol só se impôs na península na década de 1540, assim mesmo parcialmente. A cidade de Mérida, principal centro da penetração européia, foi fundada em 1542.
Por muito tempo, Yucatán, desprovida de metais preciosos e povoada por indígenas hostis, constituiu uma província quase ignorada do vice-reino da Nova Espanha. No século XVIII, os britânicos se apoderaram de Belize. Em alguns períodos do século XIX, o território foi independente do México. No fim do século começou a adquirir importância econômica, graças à exportação de sisal. No entanto, as comunicações com o resto do México continuavam precárias até a segunda metade do século XX e conservou-se nos nativos da península um forte sentimento regionalista.
Junto à agricultura comercial, persistem lavouras de subsistência, que utilizam velhas técnicas e desconhecem a maquinaria. Cultiva-se comercialmente milho, cana-de-açúcar, algodão, fumo, sisal e outras espécies. A exploração de petróleo cresce na baía de Campeche. Há bons pesqueiros ao longo de toda a costa. As praias e os sítios arqueológicos impulsionaram o turismo em centros como Cancún.

 

Veja também: