Patagônia - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Patagônia


  Geografia Fisica

Maior deserto das Américas, a Patagônia passou a ter importância econômica para a Argentina no século XIX, com a descoberta de suas riquezas minerais.

Patagônia é uma região do sul da Argentina, com 673.000km2 de superfície, que se prolonga até a ponta extrema do continente. Limita-se a leste com o oceano Atlântico, a oeste com a cordilheira dos Andes, ao norte com o rio Colorado e ao sul com o estreito de Magalhães. O território divide-se em extenso planalto, com altitude média de 500m, e uma estreita faixa ocidental montanhosa, que recebe o nome de Andes Patagônicos. A altitude varia de noventa metros, junto à costa atlântica, a 900m nas faldas dos Andes, em elevação gradativa.

O embasamento cristalino do planalto é recoberto por sedimentação mesozóica e recente, com presença de material vulcânico. Cortam a região vales profundos, como os dos rios Colorado, Negro, Chubut, Chico e Santa Cruz. A região dos Andes Patagônicos, de formação posterior ao restante da cordilheira, tem início nos chamados Andes Fueguinos, segue até a ilha dos Estados e curva-se bruscamente para leste no extremo sul do continente. A cadeia montanhosa é interrompida pelo estreito de Magalhães e o de Le Maire. Há numerosos lagos de origem glacial entre os Andes Patagônicos e o planalto, entre eles Nahuel Huapí, Buenos Aires, San Martín, Viedma e Argentina.

No planalto, onde o clima é semi-árido, moderado por influência dos oceanos, com chuvas escassas e neve no inverno, a vegetação é de arbustos, típica de desertos e cerrados. Nas altitudes maiores, o clima é glacial, com neves eternas, e predominam as florestas de coníferas. Na variada fauna selvagem destaca-se o guanaco, animal parecido com a lhama.

Atribui-se o nome Patagônia a Fernão de Magalhães, que contornou a região em 1520. Seus habitantes, vestidos de peles, com cabelos hirsutos e pintura no rosto, teriam lhe lembrado Patagón, monstro com cabeça de cão citado no romance espanhol Amadís de Gaula, do século XVI. Ao longo dos séculos XVII e XVIII ingleses e espanhóis disputaram a posse da Patagônia, que foi anexada à Argentina em 1884, após a guerra do deserto, em 1879.

A população da Patagônia é pequena e esparsa. Os nativos são pouco numerosos e a colonização européia, iniciada no século XIX, foi pouco significativa. No século XX cresceu o número de imigrantes, sobretudo chilenos, atraídos por trabalhos temporários. A Patagônia compreende as províncias argentinas de Neuquén, Río Negro, Chubut e Santa Cruz. Entre as principais cidades contam-se Comodoro Rivadavia, Puerto Deseado, Santa Cruz e Río Gallegos.

Pecuária e agricultura de cereais são atividades econômicas tradicionais. A maior riqueza é o petróleo, explorado nos campos de Comodoro Rivadavia, Plaza Huincul e Cartriel. O subsolo também é rico em ferro, cobre, urânio e manganês. Há quatro linhas ferroviárias de leste a oeste e uma rodovia federal litorânea até Buenos Aires, capital argentina.


Veja também: