Ostra - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Ostra


  Invertebrados
Apreciadas na China e no JapÒo desde a antiguidade, quando se registraram as primeiras tentativas de criß-las em viveiros, as ostras tÛm desde entÒo reconhecidos seu sabor e qualidades alimentÝcias.
Ostra Ú um molusco bivalve, ou seja, tem concha formada de duas valvas desiguais, dorsal superior e ventral inferior, sem dobradiþas. Pertence Ó famÝlia dos ostreÝdeos e, do ponto de vista econ¶mico e alimentÝcio, Ú a variedade de maior importÔncia entre os moluscos. A maioria Ú do gÛnero Ostrea, composto de vßrias dezenas de espÚcies, inclusive a ostra comum (O. edulis), que chega a dez centÝmetros de diÔmetro. As ostras vivem em col¶nias, fixas em pedras, ferro, madeira, ou agarradas umas Ós outras.
Um ligamento une as duas valvas, que se separam depois de cortado o m·sculo adutor. VÛem-se entÒo o lobo direito do manto esbranquiþado e sob ele duas brÔnquias esverdeadas situadas do mesmo lado. Do lado dorsal estÒo o m·sculo adutor e a massa visceral, na qual se reconhecem o est¶mago e o intestino e, entre eles, o coraþÒo, cujas contraþ§es se podem observar.
Hermafroditas, como todos os moluscos bivalves, as ostras produzem de um a dois milh§es de ovos por ano. O ovo Ú fecundado e ap¾s um perÝodo de incubaþÒo no interior das valvas surgem as larvas que, libertadas, sÒo arrastadas pelas correntes atÚ achar um bom local para a fixaþÒo. No perÝodo anterior Ó fixaþÒo os criadores de ostras podem recolher as larvas, que colocam em plataformas a serem transportadas para viveiros, a salvo de ataques de parasitas e predadores como esponjas e estrelas-do-mar. A ßgua dos viveiros deve ser muito rica em plÔncton e conter outras substÔncias nutritivas. Ap¾s cinco anos no viveiro, as ostras alcanþam seu valor comercial mßximo. Antes de serem recolhidas para o uso, ficam alguns dias em ßgua pura, a fim de limpar seu aparelho digestivo.
O teor de proteÝnas, lipÝdios, glicÝdios e sais minerais das ostras se assemelha ao do leite. As ostras contÛm ainda os aminoßcidos lisina, histidina e triptofano; lecitina ou gorduras fosforadas; ester¾is semelhantes a horm¶nios e vitaminas; glicerofosfatos, fosfatos e muitos metais, como cobre, ferro, zinco, manganÛs, magnÚsio e cßlcio; vitaminas A, C e D, alÚm de iodo. Em algumas ostras ocorre a formaþÒo natural de pÚrolas, que sÒo, contudo, obtidas com mais freq³Ûncia em criadouros especiais. As ostras comestÝveis nÒo contÛm pÚrolas.

Veja também: