Órgãos linfáticos - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Órgãos linfáticos


  Histologia

Vasos linfáticos: circulação da linfa, resto de liquido intersticial. Os vasos pequenos são muito pequenos e com parede muito fina, só são enxergados na histologia. Possuem válvulas, assim como as veias.

O que leva a linfa das extremidades para o centro do corpo é a musculatura estriada esquelética (movimentação) e pela expansão do tórax. As válvulas não deixam a linfa voltar para as extremidades. Não está presente em todas as regiões: sistema nervoso central, parênquima do fígado, parênquima do vaso, cartilagem hialina. Só nas meninges tem os vasos linfáticos, a massa mesmo encefálica não tem. Cordão umbilical, membranas embrionárias.

Grandes vasos linfáticos: cisterna do quilo e ducto torácico. Quilo: após a digestão onde é absorvido muita gordura, dando uma coloração esbranquiçada a linfa.

Ao lado da A. Aorta, direita, fica no abdome, quando entra no tórax ela vira ducto torácico. Todos os vasos linfáticos desembocam nesses dois, e vão desembocar na veia cava cranial.

Linfa: Parece com um plasma, liquido incolor e claro.

Quilo: linfa que sai dos vasos linfáticos intestinais, após a digestão. Cor leitosa Tem composição semelhante ao plasma, dependendo da alimentação a cor da linfa se molda. Circula devido a movimentação muscular e respiratória (mov. Muscular e mov. Da caixa torácica, ex: massagem linfática, ajuda a circular das extremidades para o centro). No cavalo quando existe laminite (inflamação do casco), em casos graves pode acontecer deslocamento do casco, pode ocorrer um edema, e o casco não se expande, então causa dor, pode cair, pode gerar cólica, morrer por problemas intestinais. Nesse caso, necessita-se estimular os vasos linfáticos e as veias, como uma massagem linfática, joga-se água gelada para causar vasoconstrição de baixo para cima, uma espécie de massagem de água gelada com um jato.

Órgãos linfáticos centrais: responsável pela origem e maturação dos linfócitos - Medula óssa

- Timo (resposta celular a infecções)

Órgãos linfáticos periféricos: Onde os linfócitos se proliferam e completam a sua diferenciação - Baço

- Linfonodos (armazenam linfócitos, a famosa íngua, quando há infecção ele fica enfartado, reação a infecções) - Tem várias, nas virilhas, axilas, abdome, dentre outros. - Nódulos linfáticos

Linfonodos: Espalhados pelo corpo, no trajeto de vasos linfáticos. Existem bastante entre os órgãos, no intestino, base do coração. Eles funcionam como filtro das linfas, removendo partículas antes de voltar para o sangue. A linfa entra pelos vasos aferentes para ser filtrada e saí pelo vaso eferente, na região do hilo. Se houver algum problema, os linfócitos detectam. Entra por uma cápsula que é o vaso aferente, que são várias. O suíno no caso entra pela região do hilo (nos outros animais aonde saia) e saí pelas “capsulas”, então na região do hilo é o vaso aferente e saí pelos vasos eferentes. Nas espécies mais padrões, são vários vasos aferentes e 1 vaso eferente, no suíno são vários vasos eferentes e 1 aferente!

Nódulos hemáticos: Só estão presentes em ruminantes, nos bezerros tem 127 a 259 nódulos hemáticos. Cor vermelha, marrom escura, com um tamanho mais ou menos de uma ervilha, ao longo do curso da aorta, na porta hemática e linfonodos jejunais. No bovino também estão sob o musculo trapézio e sob a pele do flanco. Interposto na circulação sanguínea, sem função definida.

Timo: Situado no mediastino cranial e em algumas espécies na região cervical. É dividido em lobos: Lobo torácico, lobos cervicais e lobo intermédio. Esses lobos são divididos em lóbulos, e todos esses são funcionais. É um órgão que involui com o tempo.

Os lóbulos possuem duas zonas:

Zona medular: Corpúsculo de Hassal, veia que involui, tem vasos e nervos.

Zona cortical: linfócitos e alguns macrófagos, esses macrófagos estão ali para caso os linfócitos tenham problemas, defeituosos ele vai fagocitar (englobar e destruir).

O timo é grande em animais jovens e involui com a idade, mas não desaparece. É no timo que os linfócitos T se tornam capazes de reconhecer as células do organismo.

Barreira hematotímica: células epiteliais que protegem os vasos.

Baço: é o maior acúmulo linfoide do organismo, interposto na circulação sanguínea, armazena uma quantidade muito grande de eritrócitos. O sangue sempre circula pelo baço, atua como proteção sanguínea contra microorganismos. Acumulam eritrócitos, que são expulsos por contração esplênica quando for necessário. Apresenta um hilo na superfície medial. - Possui uma cápsula de tecido, conjuntivo denso e células musculares lisas que vai emitir septos (trabéculas) que dividem o parênquima incompletamente, e também polpa branca: nódulos linfáticos e polpa vermelha: eritrócitos.


Veja também: