O Sistema Reprodutor Humano - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

O Sistema Reprodutor Humano


  Anatomia Humana

1. Origem

Os sistemas reprodutores são constituídos pelas gônadas, pelas vias reprodutoras e glândulas anexas.

Os embriões dos vertebrados possuem um tecido germinativo primitivo e um sistema de tubos, cuja diferenciação em órgãos masculinos ou femininos é, geralmente, determinada pela constituição cromossômica desse embrião. No embrião humano, por exemplo, coexistem os ductos de Wolf e os ductos de Müller. No embrião XY, desenvolvem-se os testículos e os ductos de Wolf originam as vias reprodutoras masculinas, enquanto os ductos de Müller regridem. No embrião XX, surgem os ovários, os ductos de Wolf involuem e os ductos de Müller se desenvolvem nas vias reprodutoras femininas.

 

2. O Sistema Reprodutor Masculino

 

O testículo do homem, além das células precursoras dos espermatozóides, possui células com função endócrina. São as células intersticiais, produtoras de testosterona.

O testículo fica na bolsa escrotal, cuja temperatura se mantém cerca de 2 graus Celsius inferior à temperatura abdominal.

A migração dos testículos da cavidade abdominal, onde surge, até a bolsa escrotal se dá no final de gestação ou nos primeiros meses de vida extra-uterina, por estímulo da testosterona. A permanência dos testículos na cavidade abdominal (criptorquidia) pode levar à esterilidade, devendo ser tratada com medicamentos ou com cirurgia .

Os espermatozóides são produzidos nos túbulos seminíferos, passando daí para o epidídimo. Deste, parte o canal deferente, que passa para a cavidade abdominal.

Atravessa a vesícula seminal e a próstata, recolhen-do suas secreções que, misturadas aos espermatozóides, constituem o esperma.

O pênis tem por função depositar o esperma no trato reprodutor feminino. Na maioria das aves e répteis, uma única abertura, a cloaca, serve para passagem do óvulo e do espermatozóide.

O pênis é formado por três massas de tecido esponjoso erétil. A ereção do pênis deve-se ao enchimento sangüíneo deste tecido.

Cada ejaculação de um homem adulto normal contém cerca de 300 milhões de espermatozóides, que mantém a capacidade fertilizadora por cerca de 24 horas.

A testosterona é um esteróide com potente ação androgênica, importante no desenvolvimento dos genitais externos e no aparecimento de características sexuais secundárias.

A produção de testosterona é regulada pelo LH, produzido pela hipófise. Outro hormônio da hipófise, o FSH, estimula a produção de espermatozóides.

Por estimular o desenvolvimento da massa muscular, alguns derivados da testosterona são utilizados por atletas: são os esteróides anabolizantes, de uso condenável pelos numerosos e graves efeitos colaterais que determinam (tumor de testículos, esterilidade, lesões do fígado, etc.).

 

3. O Sistema Reprodutor Feminino

Os ovários são órgãos produtores de gametas. Na época do nascimento, cada ovário da mulher contém cerca de 200 000 ovócitos primários, já na prófase I da meiose.

Permanecem assim até que a mulher alcance a maturidade sexual, quando, por ação do FSH, completam a divisão. De todos os ovócitos, 300 a 400 amadurecem e se transformam em óvulos, um a cada 28 dias.

O ovócito e as células que o envolvem constituem o folículo ovariano. No final de seu desenvolvimento, o folículo se dirige para a superfície do ovário e se abre, soltando o gameta (ovulação). Este, então, é varrido para o interior das trompas.

 

 

 

Folículo em Desenvolvimento

O gameta feminino permanece viável por cerca de 24 horas depois de ter sido ejetado do folículo. Se for fertilizado, em três a quatro dias alcança o útero e, no sexto ou sétimo dia, se implanta no endométrio. Se não for fecundado, morre.

A ovogênese, na fêmea, é cíclica, ao contrário da espermatogênese, que é contínua.

Esse ciclo se deve à ação dos hormônios gonadotróficos da hipófise: o LH e o FSH.

Os estrógenos são hormônios sexuais femininos. São produzidos pelo folículo ovariano em desenvolvimento, sob estímulo do FSH.

 

Após a ruptura do folículo maduro, esse se transforma no corpo lúteo, que passa a produzir quantidades crescentes de progesterona e decrescentes de estrógeno. Depois de cerca de 10 dias de intensa atividade, o corpo lúteo se inativa, transformando-se no corpo albicans.

O útero é um órgão muscular, com forma de pêra. É revestido pelo endométrio, cuja camada superficial se destaca durante a menstruação. A vagina é um tubo que vai do útero ao exterior, recebe o pênis e é o canal do nascimento.

Veja também: