Mosca - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Mosca


  Artrópodes

Uma das espécies animais mais difundidas pelo planeta é a mosca doméstica, habitante das moradias humanas e de todos os meios colonizados pelo homem, com exceção das terras polares e circumpolares.
Mosca é o nome comum de vários insetos pertencentes à ordem dos dípteros, termo que significa "duas asas" e foi atribuído a esses animais por terem eles possuído um segundo par de asas, que se transformaram em dois pequenos órgãos chamados balancins ou halteres, responsáveis pelo equilíbrio durante o vôo.
O corpo da mosca, como dos insetos em geral, divide-se em cabeça, seção mediana ou tórax, e abdome. Os olhos compostos -- duas grandes semi-esferas castanhas, uma de cada lado da cabeça -- são formados por milhares de olhos simples. A associação das imagens parciais, recolhidas por cada um, cria a imagem final percebida pelo inseto. No alto da cabeça, existem três olhos simples ou ocelos, que só podem ser vistos com auxílio de uma lente. Na frente há duas antenas, órgãos olfativos capazes de perceber odores a grandes distâncias. A boca consta de um órgão que recebe vulgarmente o nome de "língua" ou "tromba", embora na realidade seja integrado por todos os órgãos bucais reunidos num só: um tubo comprido, através do qual a mosca suga líquidos. A tromba é articulada e, quando não está sendo usada, fica dobrada sob a cabeça.
O tórax tem listras longitudinais e é provido de três pares de patas. Na extremidade de cada pé estão duas unhas, sobre as quais a mosca caminha. Entre as unhas há uma espécie de almofada adesiva, que permite ao inseto andar nos tetos sem cair. Essa parte adesiva, com os pêlos que a rodeiam, é que torna a mosca uma distribuidora de germes e, por conseguinte, a principal propagadora de muitas doenças.


Ciclo reprodutivo. A mosca doméstica escolhe como lugar de procriação substâncias decompostas, quentes e úmidas, sobretudo o esterco. Ali, põe de 100 a 150 ovos brancos, com cerca de um milímetro de comprimento. De cada ovo nasce uma larva comprida, com aspecto de verme, cuja pele, depois de cinco a seis dias, torna-se mais fina e castanha. Começa então o período ninfal ou de repouso, correspondente ao das borboletas em seu casulo. Após cinco ou seis dias, a mosca eclode já adulta e com seu tamanho definitivo, pois, como todos os insetos, só cresce enquanto larva. Cerca de dez dias depois, a fêmea adulta é fecundada e os ovos dão início a outra geração.
Nem todas as moscas procriam como a mosca doméstica. Muitas guardam os ovos no interior do abdome e depositam larvas vivas. Outras mantêm as crias no abdome até o estado de crisálida, como acontece com a mosca da pomba doméstica. Finalmente, existem aquelas que, por interessante e raro processo biológico, produzem larvas enquanto a própria mãe ainda se encontra em estado larvar.


Espécies de mosca. A família mais comum é a dos muscídeos, da qual faz parte a mosca doméstica (Musca domestica), que freqüenta habitats humanos. Ao voar de um lugar a outro, o inseto pousa sobre os mais diversos materiais e se alimenta de todo tipo de substâncias orgânicas. Outras espécies dessa família são a pequena mosca doméstica (Fannia canicularis) e a mosca tsé-tsé (Glossina palpalis), transmissora da doença do sono.
As moscas varejeiras pertencem à família dos califorídeos, entre os quais algumas espécies se alimentam de matéria orgânica em decomposição e outras são parasitas e chupadoras de sangue. São exemplos a Cochliomyia hominivorax e a C. macellaria, ambas de cor azul ou verde metálica, com três faixas negras longitudinais no tórax.


Veja também: