Gramíneas - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Gramíneas


  Botânica
Cultivadas há milênios, algumas gramíneas, como os cereais, constituem alimento básico para o homem. Do ponto de vista econômico, é a mais importante das famílias de plantas com flores.
As gramíneas constituem uma família de plantas da classe das monocotiledôneas. Compreende 600 gêneros com cerca de 800 espécies, número bem inferior ao de outras famílias. Entretanto, em número de indivíduos e extensão da área de algumas de suas espécies, supera-as com vantagem. As gramíneas ocupam o segundo lugar tanto nas regiões tropicais, onde predominam as leguminosas, quanto nas regiões temperadas e quentes do hemisfério norte,  em que dominam as compostas.
O amido das sementes de trigo, arroz, milho, centeio, aveia, sorgo e outros cereais constitui a base da alimentação do homem. O caule da cana-de-açúcar é rico em sacarose, alimento de uso mundial e matéria-prima para o fabrico do álcool etílico e da maior parte das bebidas alcoólicas. As gramíneas são também responsáveis pela alimentação básica do gado. Sua folhagem contém cerca de dois por cento de substâncias protéicas, além de celulose e sais minerais. Os capins, por serem rasteiros e muito resistentes a fogo, pragas e pisoteio, são freqüentemente a única cobertura de solos maltratados.
As gramíneas possuem caracteres morfológicos peculiares. Por isso há uma terminologia particular para seus órgãos. As raízes das gramíneas de ciclo anual são dispostas em cabeleira, muito numerosas e ramificadas. As espécies perenes, como os bambus, têm raízes em menor número, mais espessas e menos ramificadas. As que possuem colmos eretos, como o milho, podem ter, nos nós inferiores, círculos de raízes que atingem o solo e funcionam à maneira de tirantes, assegurando maior resistência às flexões. A parte superior vegetativa dos caules, o chamado colmo ou cana, pode ser oca (bambu) ou maciça (cana-de-açúcar); a parte inferior é um rizoma que se ramifica com freqüência, ao contrário da superior, que raramente o faz. As canas costumam ser roliças e nodosas, e seu porte varia de poucos centímetros a vários metros de altura. Alguns raros representantes possuem caules trepadores, capazes de atingir a copa das árvores. Os caules das gramíneas são órgãos de crescimento muito rápido. Certos bambus podem alongar-se mais de um metro em apenas 24 horas.
As folhas, como na maioria das monocotiledôneas, têm lâminas estreitas e alongadas com nervação paralela. O colmo é envolvido por uma bainha e, na junção desta e da lâmina há uma formação, a lígula, que pode ser uma tênue membrana, uma simples linha de pêlos, ou apenas uma mancha linear mais escura. Nas membranas celulares de muitas gramíneas depositam-se pequenos cristais de sílica, que conferem certa aspereza ao tato e formam um fio cortante no bordo foliar. Por alusão a essa propriedade, um de seus gêneros denomina-se Cortaderia. Quanto ao tempo de vida, as gramíneas podem ser anuais ou perenes monocárpicas, que dão frutos uma só vez, quando morrem as partes superiores, enquanto o rizoma permanece vivo.
A inflorescência das gramíneas tem excepcional importância, uma vez que a extrema redução dos envoltórios florais e a grande uniformidade dos órgãos sexuais fazem com que sua classificação seja feita, sobretudo, com base no arranjo das flores e das brácteas que as protegem. A organografia do tipo floral, embora correspondente à organização floral da classe das monocotiledôneas, recebe denominações distintas das de uso geral. A flor, em regra, fica numa posição lateral sobre o eixo e é protegida por uma série de brácteas de várias ordens, denominadas glumas e glumelas. Glumélulas ou lodículas são denominações de peças rudimentares, colocadas abaixo do ovário e que desempenham o papel de afastar as brácteas para permitir a exposição dos órgãos sexuais. O androceu é formado, na grande maioria das gramíneas, de três estames. O ovário é súpero, unilocular e com um só óvulo. Os estigmas variam de um a três e são comumente plumosos. A presença de abundante albume amiláceo é que valoriza um grupo numeroso de gramíneas, como cereais e plantas forrageiras. O cotilédone possui uma parte dilatada que funciona como órgão de absorção dos alimentos armazenados no albume.
Afora seu emprego como plantas alimentícias, as gramíneas fornecem matéria-prima para muitas indústrias, como a do papel, servem como plantas ornamentais e são empregadas em construção, como ocorre com as coberturas de bambu e sapé.

Veja também: