Graham Greene - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Graham Greene


  Biografias

Na maior parte de seus livros, Graham Greene conseguiu combinar enredos movimentados e cheios de suspense com preocupações religiosas, sociais e humanistas, o que fez dele um dos mais apreciados autores do século XX.

Henry Graham Greene nasceu em Berkhamsted, Inglaterra, em 2 de outubro de 1904. Seu pai era diretor da Berkhamsted School, que Greene freqüentou por alguns anos. Expulso da escola, foi enviado a Londres e confiado a um psicanalista, em cuja casa viveu enquanto se submetia a tratamento. Após estudar em Oxford, converteu-se ao catolicismo. De 1926 a 1930, trabalhou em Londres no jornal The Times.

Greene tornou-se escritor às vésperas da grande depressão e muitas de suas histórias se passam na atmosfera nervosa e confusa da década de 1930, quando o mundo se encaminhava para o fascismo e a guerra. Nos primeiros romances, vários deles adaptados para o cinema, como Stamboul Train (1932; O expresso do Oriente), e The Confidential Agent (1939; O agente confidencial), o recurso da narrativa de espionagem lhe serve para aprofundar-se na psicologia dos personagens. Durante a guerra, trabalhou para o Foreign Office (Ministério do Exterior) e viveu algum tempo em Freetown, capital de Serra Leoa, cenário de The Heart of the Matter (1948; O coração da matéria). Os romances do pós-guerra são mais introspectivos e abordam, por vezes em cores escuras, a problemática católica da queda, da culpa e da redenção. Outro traço distintivo da obra de Greene é a familiaridade com a política internacional, como mostra, por exemplo, The Quiet American (1955; O americano tranqüilo). O romance retrata a alienação da classe média americana, mas foi admirado sobretudo pela visão premonitória em relação ao envolvimento americano no Vietnam.

Greene situa o pecado e a falência moral em ambientes caracterizados pelo perigo e pela violência. O enfoque principal é sobre os conflitos morais e espirituais dos indivíduos, mas o quadro político e social de suas obras confere a esses conflitos ampla transcendência. O próprio Greene classificou seus romances em "leves" e "sérios", mas em todos está presente o grande contador de histórias. Entre os primeiros estão, além de Stamboul Train e The Confidential Agent, The Third Man (1949; O terceiro homem) e Travels with my Aunt (1969; Viagens com minha tia). Entre os "sérios", The Power and the Glory (1940; O poder e a glória), Our Man in Havana (1958; Nosso homem em Havana), que retrata Cuba sob o regime de Fulgencio Batista, e The Comedians (1966; Os comediantes), sobre o Haiti de François Duvalier. Seu último livro foi The Captain and the Enemy (1988; O homem de muitos nomes). Graham Greene morreu em Vevey, Suíça, em 3 de abril de 1991.


Veja também: