Gametogênese - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Gametogênese


  Embriologia

1. IntroduþÒo

GametogÛnese Ú o processo pelo qual os gametas sÒo produzidos nos organismos dotados de reproduþÒo sexuada. Nos animais, a gametogÛnese acontece nas g¶nadas, ¾rgÒos que tambÚm produzem os horm¶nios sexuais, que determinam as caracterÝsticas que diferenciam os machos das fÛmeas.

Por apresentar aspectos muito particulares, a gametogÛnese dos vegetais serß abordada no curso de BotÔnica. Iremos, nessas aulas, tratar da gametogÛnese animal, com destaque para a gametogÛnese humana.

O evento fundamental da gametogÛnese Ú a meiose, que reduz Ó metade a quantidade de cromossomos das cÚlulas, originando cÚlulas hapl¾ides. Na fecundaþÒo, a fusÒo de dois gametas hapl¾ides reconstitui o n·mero dipl¾ide caracterÝstico de cada espÚcie.

Em alguns raros casos, nÒo acontece meiose durante a formaþÒo dos gametas. Um exemplo bastante conhecido Ú o das abelhas: se um ¾vulo nÒo for fecundado por nenhum espermatoz¾ide, irß se desensenvolver por mitoses consecutivas, originando um embriÒo em que todas as cÚlulas sÒo hapl¾ides. Esse embriÒo hapl¾ide formarß um indivÝduo do sexo masculino. O desenvolvimento de um gameta sem que haja fecundaþÒo chama-se partenogÛnese. Se o ¾vulo for fecundado, o embriÒo 2n irß originar uma fÛmea.

Em linhas gerais, a gametogÛnese masculina (ou espermatogÛnese) e a gametogÛnese feminina (ovogÛnese ou ovulogÛnese) seguem as mesmas etapas.

 

2. A EspermatogÛnese

Processo que ocorre nos testÝculos, as g¶nadas masculinas. Secretam a testosterona, horm¶nio sexual responsßvel pelo aparecimento das caracterÝsticas sexuais masculinas: aparecimento da barba e dos pÛlos corporais em maior quantidade, massa muscular mais desenvolvida, timbre grave da voz, etc.

As cÚlulas dos testÝculos estÒo organizadas ao redor dos t·bulos seminÝferos, nos quais os espermatoz¾ides sÒo produzidos. A testosterona Ú secretada pelas cÚlulas intersticiais. Ao redor dos t·bulos seminÝferos, estÒo as cÚlulas de Sertoli, responsßveis pela nutriþÒo e pela sustentaþÒo das cÚlulas da linhagem germinativa, ou seja, as que irÒo gerar os espermatoz¾ides.

Nos mamÝferos, geralmente os testÝculos ficam fora da cavidade abdominal, em uma bolsa de pele chamada bolsa escrotal. Dessa forma, a temperatura dos testÝculos permanece aproximadamente 1░ C inferior Ó temperatura corporal, o que Ú ideal para a espermatogÛnese.

A espermatogÛnese divide-se em quatro fases:

 

 Fase de proliferaþÒo ou de multiplicaþÒo: Tem inÝcio durante a vida intra-uterina, antes mesmo do nascimento do menino, e se prolonga praticamente por toda a vida. As cÚlulas primordiais dos testÝculos, dipl¾ides, aumentam em quantidade por mitoses consecutivas e formam as espermatog¶nias .

 

 Fase de crescimento: Um pequeno aumento no volume do citoplasma das espermatog¶nias as converte em espermat¾citos de primeira ordem, tambÚm chamados espermat¾citos primßrios ou espermat¾citos I, tambÚm dipl¾ides.

 

 Fase de maturaþÒo: TambÚm Ú rßpida, nos machos, e corresponde ao perÝodo de ocorrÛncia da meiose. Depois da primeira divisÒo mei¾tica, cada espermat¾cito de primeira ordem origina dois espermat¾citos de segunda ordem (espermat¾citos secundßrios ou espermat¾citos II). Como resultam da primeira divisÒo da meiose, jß sÒo hapl¾ides, embora possuam cromossomos duplicados. Com a ocorrÛncia da segunda divisÒo mei¾tica, os dois espermat¾citos de segunda ordem originam quatro espermßtides hapl¾ides.

 

 EspermiogÛnese: ╔ o processo que converte as espermßtides em espermatoz¾ides, perdendo quase todo o citoplasma. As vesÝculas do complexo de Golgi fundem-se, formando o acrossomo, localizado na extremidade anterior dos espermatoz¾ides. O acrossomo contÚm enzimas que perfuram as membranas do ¾vulo, na fecundaþÒo.

 

 

 

Os centrÝolos migram para a regiÒo imediatamente posterior ao n·cleo da espermßtide e participam da formaþÒo do flagelo, estrutura responsßvel pela movimentaþÒo dos espermatoz¾ides. grande quantidade de mitoc¶ndrias, responsßveis pela respiraþÒo celular e pela produþÒo de ATP, concentram-se na regiÒo entre a cabeþa e o flagelo, conhecida como peþa intermedißria.

 

 


Veja também: