F. W. Murnau - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

F. W. Murnau


  Biografias
Figura relevante do expressionismo no cinema, Murnau revolucionou a criação do filme ao concebê-lo como obra dinâmica e usar a câmara para interpretar estados emocionais dos personagens.
Friedrich Wilhelm Plumpe, conhecido como F. W. Murnau, nasceu em Bielefeld, Alemanha, em 28 de dezembro de 1889. Estudou literatura, filosofia, música e história da arte nas universidades de Heidelberg e Berlim. Por volta de 1910 entrou em contato com as inovações do diretor teatral Max Reinhardt, que muito o influenciou. Colaborou em filmes de propaganda durante a primeira guerra mundial e, mais tarde, iniciou a carreira de diretor.
Com Der Januskopf (1920; A cabeça de Janus), baseado no romance The Strange Case of Dr. Jekyll and Mr. Hyde (1886; O médico e o monstro), de Robert Louis Stevenson, e Schloss Vogelöd (1921; O castelo do fantasma), Murnau começou a desenvolver um estilo expressionista. Seu primeiro filme importante foi Nosferatu (1922), que incorpora inovações técnicas e efeitos especiais, como a imagem em negativo de árvores brancas sobre o céu negro.
Com roteiro de Carl Meyer, Der letzte Mann (1924; A última gargalhada) firmou a reputação de Murnau como grande cineasta. Os movimentos da câmara, que acompanham a ação e contribuem para transmitir emoções dos personagens, tiveram grande impacto no mundo do cinema. Murnau ainda dirigiu Tartüff (1925) e Faust (1926) antes de se mudar para os Estados Unidos, onde fez Sunrise (1927; Aurora), entre outros filmes. Dias antes de lançar Tabu, co-dirigido por Robert Flaherty, Murnau morreu num acidente de automóvel em Hollywood, em 11 de março de 1931.

Veja também: