Estuário - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Estuário


  Geografia Fisica

O aproveitamento de estuários foi de fundamental importância para o desenvolvimento de muitas civilizações antigas, como a egípcia, a indiana e a chinesa, pois permitiu a construção de portos e, consequentemente, o florescimento de grandes centros comerciais adjacentes.

Estuário é uma desembocadura longa e ampla, escavada pelo rio, que dá entrada às águas do mar e serve como ponto de encontro entre águas fluviais e marítimas. Acidente geográfico característico das costas baixas e das regiões de grandes marés, permite sempre bom aproveitamento econômico, pois forma portos naturais e funciona como regularizador das cheias. Os rios da Prata, Amazonas, Tâmisa e Tejo são rios de estuário.

Quando as margens do estuário são pouco resistentes, desgastam-se com o fluxo e refluxo das marés e a força da correnteza e abrem-se como um funil, com a parte larga voltada para o mar. As correntes da maré agem como correntes de fluxo sobre a margem esquerda e como correntes de refluxo, mais violentas, sobre a margem direita, de forma que a desembocadura normal amplia-se com o tempo.

Muitos estuários formam-se à maneira de angras ou enseadas, recôncavos e similares, como o do rio da Prata, onde fica o porto de Buenos Aires. Os deltas dos rios Nilo (Egito), Ganges (Índia) e Pó (Itália), as baías de Chesapeake e Galveston (Estados Unidos), e os pântanos litorâneos como a área do Waddenzee, nos Países Baixos, são exemplos de estuários de grandes proporções. Em alguns casos especiais, os estuários muito alongados e ladeados de montanhas formam os fiordes, ou firths, como são chamados na Noruega e Escócia, respectivamente.

Os estuários abrigam fauna e flora características. Nas margens lodosas vivem Crustáceos, como as aranhas-do-mar, e nos canais, arraias. O processo geológico pelo qual se formam depende basicamente da posição do nível do mar em relação à descarga de água doce. Se esse nível baixa, a faixa litorânea avança, como ocorreu no passado em consequência de várias glaciações. O desgaste do leito dos rios cria vales profundos, favorece a penetração das águas salgadas e a formação de estuários. Os fatores fundamentais que determinam esse fenômeno geológico são a erosão, a deposição fluvial e marítima e a atividade tectônica.

 


Veja também: