Eero Saarinen - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Eero Saarinen


  Biografias

Os prismas retangulares típicos da primeira fase da arquitetura moderna deram lugar a formas curvilíneas na obra de Saarinen, um dos líderes da tendência do desenho arquitetônico americano que, na década de 1950, privilegiou a pesquisa e a experimentação.

Eero Saarinen nasceu em Kirkkonummi, Finlândia, em 20 de agosto de 1910, filho do renomado arquiteto Eliel Saarinen e da escultora Loja Gesellius. Em 1923 emigrou com a família para os Estados Unidos. Estudou escultura em Paris e arquitetura na tradicional Universidade de Yale, pela qual se graduou. O trabalho do pai, que na Finlândia baseara-se na livre adaptação de formas escandinavas medievais, prosseguiu nos Estados Unidos dentro do mesmo estilo romântico. Após passar dois anos na Europa, quando trabalhou por algum tempo em Helsinki com o arquiteto Jarl Eklund, Eero iniciou em 1936 sua carreira profissional nos Estados Unidos, onde trabalhou frequentemente em associação com Eliel.

Naturalizado americano em 1940, Eero Saarinen foi o primeiro arquiteto a adotar desenhos e formas esculturais que realçavam as características de cada construção. Criou também peças de mobiliário, a exemplo de outros arquitetos contemporâneos. Em 1941 ganhou o Prêmio Nacional da Mobília com uma cadeira de madeira compensada e, em 1948, criou uma revolucionária cadeira em fibra de vidro.

Após a morte do pai, em 1950, suas obras mostraram crescente audácia. Seu primeiro trabalho individual foi o centro técnico da General Motors em Warren, Michigan. A precisão e o ritmo modular dos prédios baixos lembra o desenho de Ludwig van der Rohe e as primeiras fábricas de automóveis do arquiteto americano Albert Kahn. Em 1953 Saarinen iniciou o projeto do auditório Kresge e da capela do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, ambos concluídos em 1955, com base em formas esféricas e cilíndricas. As linhas dinâmicas e sugestivas e a exploração dos contrastes exterior-interior desses edifícios caracterizam essa fase de sua obra, quando se concentrou em projetos institucionais ligados à educação e à indústria. O rinque de hóquei da Universidade de Yale e o terminal da Trans World Airlines, no aeroporto John F. Kennedy, em Nova York, evidenciam suas convicções acerca do sentido emocional e estético na arquitetura. Eero Saarinen morreu em 1º de setembro de 1961 em Ann Arbor, Michigan, Estados Unidos.


Veja também: