Educação Ambiental e Cultura - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Educação Ambiental e Cultura


  Meio Ambiente

As sociedades humanas diferem amplamente entre si em termos de cultura, qualidade de vida e condições ambientais e na percepção do significado dessas diferenças. Viver de forma sustentável depende da aceitação do dever da busca de harmonia com as outras pessoas com o seu meio. É comum perceber o não entendimento de que o meio ambiente não é apenas fauna e flora, e que os seres humanos também fazem parte da natureza que é formada também pela cultura humana. A diversidade seja ela cultural ou natural ainda é a maior expressão da Educação Ambiental.

Diante disso é importante ressaltar que uma ação educativa, por melhor que possa parecer, nunca é válida para tudo e todos. A Educação Ambiental busca provocar a mudança de comportamento e atitudes diante do meio ambiente, de forma a possibilitar a melhoria de qualidade de vida. E quanto mais conhecermos a natureza e suas relações com os grupos, mais teremos chances de encontrar formas de orientar a melhor utilização dos recursos disponíveis.

Antes de iniciar um projeto sobre so racional de água nas escolas em que participei, por exemplo, fizemos uma pesquisa de campo junto à comunidade escolar que revelou que a maioria das pessoas afirmava ter consciência de que a água é um recurso importante e precisava ser usada com cuidado. Mas entendemos que essa afirmação, da importância da água, usada isoladamente, parecia não ter a relevância merecida.

A maioria das pessoas sabia citar uma ou outra forma de usar a água com cuidado e várias formas de economia dentro da própria casa, mas não faziam o mesmo na escola porque lá não pagavam pela água. O desafio, nesse caso, foi descobrir e utilizar uma linguagem que desvinculasse o valor monetário da água com seu valor como bem comum, como recurso natural finito.

A abordagem, que no final deu certo, foi para a importância da utilização racional da água potável e manutenção dos equipamentos hidráulicos e não para a "economia" da água, que pelo histórico cultural coletado soaria como economizar o dinheiro da escola. Quando entenderam que falávamos do recurso natural escasso ÁGUA POTÁVEL, várias outras iniciativas surgiram junto às propostas já estabelecidas pelo projeto.

Com isso volto ao início desse post, "as sociedades humanas diferem amplamente entre si e viver de forma sustentável depende da aceitação do dever da busca de harmonia com as outras pessoas com o seu meio". Ou seja, respeitar a cultura e adequar a linguagem com a qual nos comunicamos com esses grupos quando queremos falar sobre educação ambiental de forma contemporânea faz toda diferença no resultado que pretendemos alcançar.


Veja também: