Dendê - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Dendê


  Botânica
Nativo da África ocidental e introduzido no Brasil pelos portugueses, o dendê encontrou condições propícias a sua aclimatação e se desenvolveu principalmente no litoral baiano, entre Ilhéus e Salvador. Hoje não só é cultivado, como cresce de maneira espontânea em vários dos estados mais quentes do país.
Palmeira oleaginosa da subfamília das ceroxilíneas, o dendê ou dendezeiro (Elaeis guineensis) tem o estipe quase preto e atinge de 15 a 20m de altura. Seu crescimento é lento e as folhas levam até sete anos para chegar ao tamanho máximo, que oscila em torno de cinco metros. As flores masculinas e femininas reúnem-se em inflorescências separadas. A polinização é feita pelo vento.
Os frutos são pequenos cocos, de cerca de quatro centímetros de comprimento por 2,5cm de diâmetro, com polpa avermelhada e semente muito dura, que se aglomeram em grandes cachos. O dendê começa a frutificar por volta dos cinco anos e chega pouco antes dos vinte à fase de produção mais intensa. Uma palmeira pode dar até quatro cachos por ano, cada qual com cerca de 500 cocos em média.
O dendê fornece dois tipos de óleo: o óleo de palma ou azeite-de-dendê, chamado ainda de azeite-de-cheiro, e o óleo de amêndoa. O azeite-de-dendê, composto de palmitina, oleína, linolina, estearina e ácido palmítico, é de cor avermelhada e sabor adocicado. Ingrediente tradicional da cozinha afro-brasileira, entra no preparo de pratos baianos como o vatapá e o caruru. Tem também diversas aplicações industriais, como matéria-prima para a fabricação de sabão, velas, graxas e lubrificantes e como protetor, na indústria siderúrgica, da folha-de-flandres (lata) e de chapas de aço.
O óleo da amêndoa, obtido por esmagamento das sementes em prensas, é usado na fabricação de margarina, chocolate e remédios. É esbranquiçado ou levemente amarelo, finíssimo, sem sabor ou meio amargo, com baixa proporção de ácidos graxos. Na Bahia é chamado xoxô e usado para amaciar o cabelo.
O palmito é comestível, as folhas servem para trançados e a seiva dá o vinho de palma, muito comum na África ocidental. O resíduo da extração do óleo da amêndoa dá uma torta que serve de alimento ao gado, que tem a propriedade de aumentar a secreção láctea.{di

Veja também: