Cáucaso - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Cáucaso


  Geografia Fisica
A região montanhosa do Cáucaso abriga em seus vales e encostas dezenas de povos de cultura e língua diferentes. Fronteira entre a Europa e a Ásia, leva o nome de um pastor que, segundo a mitologia grega, morreu assassinado pelo deus Cronos.
A cordilheira do Cáucaso, a mais alta da Europa, tem a forma de um istmo que separa dois mares: o Negro, a oeste, e o Cáspio a leste. Limita-se com as depressões de Kuma e Manich, ao norte, e com Turquia e Irã, ao sul. Tem uma superfície de 440.000km2 e suas montanhas formam uma barreira de difícil acesso. A região abrange o sul da Rússia, a Geórgia, o  Azerbaijão e a Armênia. As passagens são pouco numerosas; a mais importante é a de Kluchor, que une os vales de Teberda e Kodori. Compreende ainda outras regiões administrativas autônomas, que correspondem a diferentes etnias e culturas.
A cordilheira se compõe de materiais duros (granitos), fossilizados em muitas regiões por uma cobertura sedimentar ou por rochas metamórficas. As montanhas dividem-se em duas partes: grande e pequeno Cáucaso.
O grande Cáucaso estende-se ao longo de mil quilômetros, de Novorosiisk, no mar Negro, à península de Apsheronsk, no Cáspio, próximo a Baku. A zona é recoberta por materiais paleozóicos, que modelam uma cadeia montanhosa onde se encontram os picos mais altos do Velho Mundo: os montes Elbrus (5.642m), Dick-Tan (5.203m) e Kazbek (5.033m), de origem vulcânica. A leste e a oeste erguem-se formações montanhosas paralelas, de altitudes inferiores aos quatro mil metros e, ao sul, a cadeia principal é formada por maciços antigos e grandes fossas tectônicas, como as de Rioni e Kura.
O pequeno Cáucaso é formado pelas cadeias montanhosas de Adzharia-Imeretia, os montes Trialtie e as montanhas em volta do lago Sevan. Seu ponto culminante é o monte Ararat (4.090m). Ao sul encontram-se os maciços da Armênia, separada da Armênia turca pelas bacias dos rios Kura e Araks. O relevo do pequeno Cáucaso se compõe de vales planos, montanhas vulcânicas e encostas abruptas.
Entre as duas vertentes do Cáucaso, as diferenças climáticas são radicais. Enquanto a vertente ocidental, submetida aos ventos úmidos do oeste, é muito chuvosa e possui densa cobertura florestal, a vertente oriental, exposta aos ventos secos do leste, possui vegetação de estepe.
O Cáucaso tem população muito variada. Ao norte habitam russos e ucranianos; ao sul, predominam os grupos eslavos. Existem cerca de cinqüenta comunidades com culturas e línguas diferentes, entre as quais destacam-se georgianos, armênios e azerbaijanos. Os núcleos urbanos mais importantes são Tiblis, Baku e Erevan.
Incluído na zona de influência das antigas civilizações da Mesopotâmia, o Cáucaso foi descrito pela primeira vez por Heródoto. No princípio da era cristã, os povos da região foram dominados pelos armênios e depois pelos romanos. No século IV a região adotou o cristianismo como religião, mas posteriormente vários núcleos meridionais foram islamizados por influência dos otomanos que dominaram a região. Do século IV ao XIV, o Cáucaso foi um dos caminhos dos povos que, procedentes da Ásia, invadiram sucessivamente o vizinho Oriente e a Europa: hunos, persas, árabes, mongóis e turcos. A insegurança que havia na região provocou então a migração de importantes grupos humanos para refúgios nas montanhas, onde puderam criar comunidades fechadas, com cultura e língua próprias: os povos do Cáucaso.
A expansão do império russo chegou ao Cáucaso no século XVIII, mas somente na década de 1860 as tribos guerreiras da região central foram dominadas. Devido à importância econômica das jazidas petrolíferas, turcos e alemães ocuparam parcialmente o Cáucaso no século XX.a order

Veja também: