Barata - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



176 Slides Power Point grátis

Só baixar, editar e começar a usar.

Barata


  Artrópodes
Um dos insetos de maior difusão em todo o mundo, a barata se adaptou à convivência humana e pode causar grandes perdas de produtos alimentícios, não tanto por comê-los, mas sim por contaminá-los.
Barata é um inseto da ordem dos dictiópteros, família dos blatídeos. Compreende mais de 3.500 espécies, principalmente tropicais e subtropicais. É um inseto de pequeno grau de evolução e sofreu pouca modificação nos últimos 320 milhões de anos, segundo revelam fósseis dessa época.
O corpo muito achatado das baratas lhes permite viver em esconderijos estreitos. Os machos possuem um par de asas mas pouco uso fazem delas, preferindo deslocar-se rapidamente sobre superfícies. Nas fêmeas as asas são muito pequenas ou inexistentes. Possuem antenas móveis, longas e filiformes, que servem para identificar os alimentos antes de devorá-los com suas mandíbulas horizontais. Têm grandes espinhos em seus três pares de patas, que são longas e finas, o que lhes permite mover-se a grande velocidade. As fêmeas desovam uma vez por ano e põem os ovos em pequenos envoltórios rijos e impermeáveis (ootecas) o que impede que lhes falte umidade. Cada uma ooteca pode conter até cinqüenta ovos.
Comem todo tipo de alimento animal e vegetal, papel, detritos e inclusive outras baratas mortas. Existem espécies silvestres que se alimentam de madeira e vivem nos bosques e florestas.
As baratas do Oriente (Blatta orientallis) são as mais comuns em armazéns e residências. As fêmeas, de cor pardo-escura, medem 2,5cm de comprimento e quase não possuem asas. O protórax é unicelar. A barata germânica (Blattella germanica), conhecida no Brasil por "francesinha" e muito comum nas cozinhas, tem cor avermelhada e cabeça amarela com duas listras pretas; não chega a 1,5cm. A barata americana (Periplaneta americana), com duas faixas amarelas no protórax, pode atingir cinco centímetros. Há ainda a barata australiana (Periplaneta australasiae) muito menos freqüente e que mede 3,5cm.
O modo mais eficiente de combatê-las é com a utilização de inseticidas. Existe hoje no mercado uma variada gama de produtos, mas todos devem ser utilizados com cuidado pois, de forma geral, também são nocivos ao homem.
agene

Veja também: