A Célula Animal - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



A Célula Animal


  Citologia

A - Aspectos Gerais

A membrana das cÚlulas animais Ú lipoprotÚica e seletivamente permeßvel, capaz de controlar a entrada e saÝda de materiais. MolÚculas pequenas e sais inorgÔnicos passam atravÚs da membrana. MolÚculas maiores sÒo englobadas em vesÝculas. SubstÔncias exportadas pela cÚlula ficam em pequenas bolsas membranosas, que se abrem na superfÝcie, despejando seu conte·do no exterior.

No interior da cÚlula animal, hß um n·cleo tÝpico de uma cÚlula eucari¾tica. Todo o espaþo existente entre o n·cleo e a membrana plasmßtica constitui o citoplasma.

No interior do n·cleo, estß a cromatina, formada por DNA e por proteÝnas. ╔ formada por filamentos de cromossomos emaranhados, como linha embaraþada. O nuclÚolo, corpo denso e esfÚrico que pode ser visto dentro do n·cleo, Ú rico em RNA e proteÝnas. Participa da formaþÒo dos ribossomos.

O envolt¾rio nuclear, ou carioteca, tem continuidade com o retÝculo endoplasmßtico, um complexo sistema de canais e tubos revestidos por membrana. A carioteca tem duas camadas sobrepostas e poros, que comunicam o interior do n·cleo com o citoplasma.

O retÝculo endoplasmßtico se comunica, tambÚm, com a membrana plasmßtica e com o meio extracelular. Ele atua como um sistema interno de distribuiþÒo.

Os ribossomos, pequenos grÔnulos observados no citoplasma, sÒo compostos por protÚinas e por RNA, e sintetizam proteÝnas, algumas que sÒo usadas na cÚlula, como as enzimas, e outras que sÒo lanþadas no meio externo. Os ribossomos podem ser encontrados livres no citoplasma, aderidos na face externa do envolt¾rio nuclear ou ligados nas membranas do retÝculo endoplasmßtico. As partes do retÝculo que tÛm ribossomos aderidos formam o retÝculo endoplasmßtico rugoso ou granular, tambÚm chamado ergastoplasma. O retÝculo endoplasmßtico liso, que nÒo tem ribossomos aderidos, participa da produþÒo de gorduras e de outras substÔncias.

Observam-se, no citoplasma, vesÝculas achatadas e empilhadas que comp§em o complexo de Golgi. Suas funþ§es sÒo a concentraþÒo de substÔncias produzidas no ergastoplasma e o seu empacotamento em pequenas vesÝculas que se abrem na superfÝcie da cÚlula. Esta atividade se chama secreþÒo celular.

Outras pequenas vesÝculas que brotam do complexo de Golgi contÛm enzimas digestivas. SÒo os lisossomos, responsßveis pela digestÒo intracelular.

Hß um par de centrÝolos, que tem um papel importante na divisÒo celular. Nas cÚlulas dotadas de cÝlios ou de flagelos, os centrÝolos estÒo relacionados com a formaþÒo e com o controle dos batimentos dessas estruturas de locomoþÒo.

As atividades efetuadas pelas cÚlulas requerem energia, que elas obtÛm na respiraþÒo celular. Trata-se de uma longa seq³Ûncia de reaþ§es de combustÒo controlada da glicose, que transfere a energia desse aþ·car para molÚculas de adenosina-trifosfato, o ATP. As primeiras reaþ§es da respiraþÒo acontecem no hialoplasma, e as etapas finais, que representam a grande fonte de energia para a cÚlula, processam-se no interior das mitoc¶ndrias. Como simplificaþÒo, podemos representar a respiraþÒo celular dessa forma:

glicose + 6 O2 ===> 6 CO2 + 6 H2O + energia

As cÚlulas tÛm uma trama interna de filamentos de proteÝnas, que mantÚm a sua arquitetura, chamada citoesqueleto.

As estruturas citoplasmßticas dotadas de organizaþÒo e sistemas enzimßticos pr¾prios sÒo chamadas organ¾ides citoplasmßticos (ou organelas). SÒo os lisossomos, as mitoc¶ndrias, o complexo de Golgi, os ribossomos, os centrÝolos, o retÝculo endoplasmßtico e os peroxissomos. As estruturas celulares desprovidas dessa organizaþÒo sÒo as inclus§es citoplasmßticas, das quais sÒo exemplos os grÔnulos de glicogÛnio e de pigmentos.


Veja também: