Interações Ecológicas - BioMania
DVD SLIDES DE QUÍMICA
Clique e saiba mais: www.biocompras.com.br

Menu
Busca



Newsletter

Cadastre-se e recebe novidades do BioMania no seu e-mail!


DVD Atividades Práticas em sala de aula - Ciências e Biologia
De: R$ 129,00 Por: R$ 49,00
Economia: 62% Off

DVDs Slides Premium + DVD Atividades práticas em sala de aula
De: R$ 368,00 Por: R$ 99,00
Economia: 73% Off

DVDs Slides Premium - 8.000 slides - Ciências e Biologia
De: R$ 239,00 Por: R$ 59,00
Economia: 75% Off


   Ecologia


INTERAÇÕES ECOLÓGICAS


Os seres vivos mantêm entre si vários tipos de interações ecológicas que podem ser consideradas como sendo harmônicas ou positivas ou desarmônicas ou negativas.

As interações harmônicas ou positivas (+) são aquelas onde não há prejuízo para as espécies participantes e vantagem para pelo menos uma delas.

As interações desarmônicas ou negativas (-) são aquelas onde pelo menos uma das espécies participantes é prejudicada, podendo existir benefício para uma delas.

Dentro de cada um dos tipos de interações mencionados acima, ainda podemos classificá-las em interações intra-específicas e interespecíficas, conforme ocorram entre indivíduos da mesma espécie ou entre espécies diferentes respectivamente.

O esquema a seguir mostra os tipos principais de interações ecológicas entre os seres vivos.

  Interações HarmônicasInterações Desarmônicas
Intra Específica

Colônia (+)

Sociedade (+)

Competição (-)
Inter Específica

Mutualismo (+ +)

Cooperação (+ +)

Comensalismo (+ 0)

Inquilismo (+ 0)

Epifitismo (+ 0)

Competição (- -)

Parasitismo (+ -)

Predatismo (+ -)

Amensalismo (+ -)

O sinal (+) indica vantagem para a espécie, o sinal (-) indica prejuízo para a espécie, e o sinal (0) indica que a espécie não é beneficiada nem prejudicada.

 

 

Interações Harmônicas

As interações intra-específicas harmônicas são aquelas que ocorrem entre indivíduos da mesma espécie, como a colônia, onde os indivíduos apresentam ligação anatômica, podendo ou não apresentar divisão de trabalho entre os indivíduos.

Na sociedade, os indivíduos não estão ligados anatomicamente, mas apresentam divisão de trabalhos entre eles. As figuras a seguir mostram exemplos destas associações.

 

 

A vida da coméia. (a) Operárias trabalhando em células de armazenamento de mel e de pólen. O mel é feito de néctar processado por enzimas especiais presentes nos corpos das operárias e espessado pela evaporação durante o engolimento e a regurgitação repetidos. (b) Rainha especionando uma célula antes de nela pôr um ovo. (c) Larvas reais, nutridas de geléia real durante as fases iniciais do seu desenvolvimento. Essas larvas são as futuras rainhas. (d) Outra tarefa da operária é o condicionamento do ar. Nesta figura vê-se uma operária batendo as asas para resfriar a colméia.

As interações interespecíficas harmônicas ocorrem entre indivíduos de espécies diferentes.

No mutualismo as espécies participantes são beneficiadas mutuamente, sendo a interação obrigatória para a sobrevivência das espécies. As figuras a seguir mostram alguns exemplos de mutualismo.

 

 

 

 

 

Raiz de feijão soja, com numerosos nódulos, formados por uma espécie de gênero Rhizobium.

 

Liquens são associações de algas e fungos. Estes organismos mantêm uma relação de alta dependência, da qual ambos auferem benefícios. Em A, liquens crescendo sobre ramos de árvores; em B, aspecto microscópico do líquen mostrando células da alga e do fungo (segundo Bold).

Na interação de cooperação ou protocooperação também existem benefícios para as espécies participantes, mas não é obrigatória para a sobrevivência das espécies.

A figura a seguir mostra exemplo de cooperação entre diferentes espécies.

 

Interação de cooperação entre caranguejo paguro e anêmona.

 

As interações de comensalismo, inquilinismo e epifitismo serão estudadas dentro de um mesmo grupo onde uma espécie é beneficiada e a outra é neutra, não sendo beneficiada nem prejudicada. Muitas vezes estas interações são caracterizadas como sendo uma relação alimentar no comensalismo, uma relação onde uma espécie usa outra para proteger-se como no caso do inquilinismo ou no caso de uma planta vivendo sobre outra, usando-a como suporte, é chamada de epifitismo.

 

As figuras a seguir mostram as interações mencionadas acima.

Relação de comensalismo entre o tubarão e rêmora.

Relação de inquilinismo entre pepino-do-mar e peixe-agulha.

 

Interações Desarmônicas

 

A interação do tipo competição pode ocorrer entre indivíduos da mesma espécie ou entre indivíduos de espécies diferentes, quando dependem dos mesmos fatores ambientais para sua sobrevivência como mesma fonte de alimento, mesmo espaço.

Quando a competição é interespecífica, verificamos que as espécies possuem o mesmo nicho ecológico.

Os gráficos a seguir mostram o resultado da experiência de Gause - "Princípio da exclusão competitiva de Gause", com a competição entre duas espécies de paramécios.

Competição entre duas espécies de Paramecium.

 

 

No parasitismo, normalmente o parasita é menor que o hospedeiro, podendo viver dentro ou fora deste último, sendo chamado respectivamente de endoparasita e ectoparasita. A interação entre o parasita e o hospedeiro é bem específica como no caso de vermes que parasitam a espécie humana e bovinos, bactérias e vírus que parasitam animais e vegetais.

No predatismo, o predador normalmente é maior que sua presa, matando-a para alimentar-se, mas a relação nem sempre é específica como no parasitismo.

O predatismo quando ocorre entre animais herbívoros e vegetais pode ser chamado de herbivorismo. As figuras a seguir mostram exemplos de predatismo.

 

 

cutia

onça

cachorro-do-mato

A cutia e seus predadores.

 

 

No caso do amensalismo ou antibiose, uma espécie inibe o crescimento ou a permanência de outra espécie no ambiente, como ocorre no fenômeno da maré vermelha ou quando fungos liberam antibióticos no ambiente eliminando bactérias sensíveis à ação destas substâncias que podem inibir a síntese protéica ou a reprodução das bactérias.






Os animais mais estranhos do planeta

O tubarão-duende (Mitsukurina owstoni) é uma espécie que habita nas águas profundas, raramente é visto com vida. Atinge até 5 metros de comprimento. Vive no fundo do mar, e já foi encontrado a 1200 metros de profundidade, no oeste do ...




[ Mandar esta matéria para um amigo ]
 
Disciplinas
Aeronáutica e astronáutica 
Anatomia Humana 
Artrópodes 
Astronomia 
Biofísica 
Biografias 
Bioquímica 
Botânica 
Citologia 
Dinâmicas 
Ecologia 
Embriologia 
Evolução 
Fisiologia 
Fisiologia Vegetal 
Frutas Comestiveis 
Genética 
Geografia Fisica 
Geologia 
Histologia 
Ictiologia 
Imunologia 
Invertebrados 
Meio Ambiente 
Microbiologia 
Patologias 
Reproduçao 
Taxonomia 
Vertebrados 
Zoologia 
 
© 1999/2014 - BioMania- Todos os direitos reservados