Interação Gênica - BioMania
DVD SLIDES DE QUÍMICA
Clique e saiba mais: www.biocompras.com.br

Menu
Busca



Newsletter

Cadastre-se e recebe novidades do BioMania no seu e-mail!


DVDs Slides Premium - 8.000 slides - Ciências e Biologia
De: R$ 239,00 Por: R$ 59,00
Economia: 75% Off

DVD Atividades Práticas em sala de aula - Ciências e Biologia
De: R$ 129,00 Por: R$ 49,00
Economia: 62% Off

Lanterna Led Tática Recarregável Cree Q5 com zoom + Bateria + Carregador
De: R$ 129,00 Por: R$ 69,00
Economia: 47% Off


   Genética


INTERAÇÃO GÊNICA


1. O que é interação gênica?

Na situação chamada interação gênica, dois ou mais pares de genes alelos diferentes se associam na determinação de uma única característica. Podemos considerar a interação gênica como o inverso da pleiotropia.

 

2. Genes complementares

São aqueles que, quando isolados em um indivíduo, determinam o aparecimento de uma característica diferente daquela que aparece quando estão juntos. O exemplo mais conhecido é a determinação do formato da crista das galinhas, herança condicionada por dois pares de genes alelos Rr e Ee.

 

O gene dominante R, quando isolado, determina o aparecimento de "crista rosa". O gene E condiciona "crista ervilha". Nas aves que possuem ambos os genes dominantes, a crista é "noz". Os duplos homozigotos recessivos possuem cristas "simples".

 

 

O cruzamento de uma ave de crista "noz", dupla homozigota, com uma ave de crista simples origina apenas descendentes de crista "noz". Se essas aves heterozigotas para ambos os pares forem cruzadas, será obtida a seguinte descendência:

 

3. Epistasia

Chama-se epistasia o padrão de herança na qual um gene impede a manifestação de um outro que não é seu alelo. O gene inibidor é chamado epistático, e o que é inibido se chama hipostático. Um exemplo se relaciona com a determinação do padrão das penas de galinhas. Em um par de genes, o gene dominante C condiciona plumagem colorida, e o alelo recessivo condiciona plumagem branca. Há um outro par de genes alelos cujo dominante I impede a produção de pigmentos e as penas nascem brancas. O gene recessivo i não tem esse efeito.

 

O gene C é dominante em relação ao seu alelo c, mas é mascarado pela presença do gene inibidor I. O gene I é epistático sobre C, que é hipostático.

Uma ave de genótipo CC II é branca. Embora tenha o par CC, a presença do gene inibidor I não permite que os pigmentos das penas sejam produzidos, e a ave é branca. Uma outra ave, essa de genótipo
cc ii, também é branca. Ela não possui o gene inibidor, mas o par de genes recessivos cc não determina a produção de pigmentos.

 

 

 (F2) proporções genotípicas proporções fenotípicas
 9 C_ I_ 9 brancas
 3 C_ ii 3 coloridas
 3 cc I_ 3 brancas
 1 cc ii 1 branca

 

4. A herança quantitativa ou poligênica

Nesse padrão de herança, o fenótipo é condicionado por dois ou mais pares de genes alelos, nos quais um deles é chamado gene aditivo, e o outro é o gene indiferente ou não-aditivo. Cada gene aditivo presente em um indivíduo determina o aumento na intensidade da expressão do fenótipo, não importando de qual par é esse gene aditivo. Os genes não-aditivos não acrescentam nada na expressão do fenótipo.

Dois aspectos sugerem que uma certa característica seja condicionada por herança quantitativa:

 

· Fenótipo com variação contínua ou gradual

Um exemplo é a cor da pele, na espécie humana. Entre os extremos (branco e negro) há diversos fenótipos intermediários.

 

· Distribuição dos fenótipos em curva normal (ou curva de Gauss)

Os fenótipos extremos são os que se encontram em menores quantidades. Os fenótipos intermediários são observados em freqüências maiores, e a distribuição quantitativa desses fenótipos estabelece uma curva chamada normal ou curva de Gauss.

O número de fenótipos que podem ser encontrados, em um caso de herança poligênica, depende no número de pares de genes envolvidos.

 

número de fenótipos = 2n + 1

 

Isso significa que se uma certa característica é determinada por 3 pares de genes, podem ser encontrados 7 fenótipos distintos. Cada grupo de indivíduos que expressam o mesmo fenótipo constitui uma classe fenotípica.

Um caso de herança quantitativa é a determinação da cor da pele na espécie humana, herança que envolve dois pares de poligenes, segundo Davemport. Os genes aditivos aumentam a produção da melanina, pigmento que torna a pele mais escura. Quanto mais genes aditivos, mais melanina é produzida e mais escura é a pele.

Uma mulher negra (genótipo S*S* T*T*), casada com um homem branco (genótipo SS TT), terá todos os seus filhos mulatos médios, heterozigotos para ambos os pares de genes (S*S T*T). O casamento entre dois duplos heterozigotos pode originar qual descendência?

(F2)

1 / 16 branco

4 / 6 mulatos claros

6 / 16 mulatos médios

4 / 16 mulatos escuros

1 / 16 negro






Os animais mais estranhos do planeta

O Tatu-fada Rosa é o menor dentre toda a espécie de tatus. Ele pode ser encontrado principalmente na Argentina, onde habita os campos mais secos e as planícies arenosas com arbustos de espinhos e cactus.

O tatu-fada rosa mede aproximadamente entre ...




[ Mandar esta matéria para um amigo ]
 
Disciplinas
Aeronáutica e astronáutica 
Anatomia Humana 
Artrópodes 
Astronomia 
Biofísica 
Biografias 
Bioquímica 
Botânica 
Citologia 
Dinâmicas 
Ecologia 
Embriologia 
Evolução 
Fisiologia 
Fisiologia Vegetal 
Frutas Comestiveis 
Genética 
Geografia Fisica 
Geologia 
Histologia 
Ictiologia 
Imunologia 
Invertebrados 
Meio Ambiente 
Microbiologia 
Patologias 
Reproduçao 
Taxonomia 
Vertebrados 
Zoologia 
 
© 1999/2014 - BioMania- Todos os direitos reservados