Nematódio - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Nematódio


 Invertebrados

Em todos os ambientes onde é possível haver vida existem nematódios: no solo, na água, na neve, nos animais mais diversos, inclusive o homem, e nas plantas. A maioria leva vida livre, mas muitos são parasitos.

Nematódio, ou nematóide, é o nome dos vermes ou animais metazoários de corpo cilíndrico, às vezes fusiforme, que para alguns especialistas constituem um filo próprio. Outros preferem incluí-los no filo dos asquelmintos. O termo lombriga designa os que parasitam os animais e o homem e são visíveis a olho nu.
O comprimento dos nematódios vai de menos de um milímetro até vários centímetros. O corpo é recoberto por uma cutícula geralmente anelada, inerme, ou com apêndices em forma de cerdas, espinhos ou escamas. Os que parasitam plantas se alimentam da seiva e do conteúdo das células; e os que parasitam animais destroem células, para nutrirem-se de seu conteúdo, ou retiram alimento do muco do tubo digestivo.

Esses animais não possuem aparelho circulatório nem respiratório. Quando necessitam de oxigênio, absorvem-no por difusão através da superfície do corpo. O aparelho digestivo consta de boca, esôfago, faringe, intestino e reto. Em certas espécies a boca possui placas esclerosadas em forma de dentes, que cortam a parede do intestino do hospedeiro para sugar-lhe o sangue. O aparelho excretor abre-se para o exterior por meio de um poro localizado no terço anterior do corpo. O sistema nervoso é formado por gânglios e por nervos ramificados que terminam em órgãos sensoriais na epiderme. Órgãos dos sentidos, sob a forma de pequenas cerdas e papilas, são mais abundantes em nematódios de vida livre.

Os nematódios costumam ser dióicos e têm os sexos separados, mas também ocorrem entre eles casos de hermafroditismo e partenogênese. As fêmeas são ovíparas ou vivíparas. Podem gerar larvas que eclodem no próprio útero e só mais tarde rompem a pele da mãe para atingirem o meio exterior. As larvas passam por uma série de mudanças de pele antes de chegarem à maturidade sexual. Algumas espécies dependem de hospedeiros intermediários para completar o ciclo vital, e sem ele não conseguem evoluir.

Pela boca e pela pele dos animais penetram várias espécies de nematódios que parasitam em geral o intestino. Entre elas estão: Enterobius vermicularis, verme oxiúro cosmopolita, causador da enterobíase; Ascaris lumbricoides, a lombriga típica, que causa a ascaridíase, uma das verminoses mais comuns no Brasil; Necator americanus, o ancilóstomo americano, causador da ancilostomíase, necatoríase, amarelão ou anemia tropical; e Wuchereria bancroffti, um dos causadores da elefantíase, de grande incidência na África e em alguns pontos do Brasil.