Homem de Neandertal - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Homem de Neandertal


 Evolução

A descoberta, em 1856, de fósseis do chamado homem de Neandertal suscitou controvérsias em torno de sua classificação. Alguns fósseis desses hominídeos assemelham-se menos ao Homo erectus, seu predecessor, que ao atual H. sapiens. Por isso alguns preferem considerá-lo uma subespécie do homem atual, chamando-a H. sapiens neandertalensis.
Homem de Neandertal é o nome pelo qual se conhece a subespécie Homo neandertalensis, que viveu em certas áreas da Europa, do Oriente Médio e da África entre 115.000 e 35.000 anos atrás e que, a seguir, desapareceu abruptamente. O nome Neandertal -- ou vale do Neander, perto de Düsseldorf, na Alemanha, onde se encontraram os primeiros fósseis -- foi atribuído ao conjunto da subespécie, da qual mais tarde se identificaram vestígios semelhantes em outras regiões da Europa, assim como na Ásia, no Oriente Médio e no norte da África.
Os precursores do homem de Neandertal europeu talvez remontem ao período glacial Riss (150.000 a 100.000 anos atrás). Os mais recentes, de que existe maior número de vestígios, datam do período glacial Würm (85.000 a 35.000 anos atrás). O homem de Neandertal é o precursor do homem de Cro-Magnon, representante do H. sapiens pré-histórico. As características da espécie variam segundo a região de onde provêm os fósseis. Em geral, os homens de Neandertal eram atarracados, de pequena estatura e forte compleição, com membros superiores e inferiores encurvados, o que lhes dava uma postura bípede ainda imperfeita. Tinham caixa craniana baixa, alongada e volumosa. O rosto, também grande mas sem queixo, apresentava enormes arcadas superciliares e ossos malares reduzidos.
Viviam de preferência em cavernas, cujas entradas protegiam com pedras, mas em alguns locais construíam abrigos ao ar livre. Conheciam o fogo e eram bons caçadores de animais herbívoros e carnívoros. Às vezes também pescavam e alimentavam-se de moluscos. Fabricavam instrumentos de pedra, madeira e osso. Tudo indica que praticavam o canibalismo. Enterravam seus mortos individualmente ou em grupos e certos indícios de tratamento ritualístico de animais, de que se encontraram restos junto a esqueletos humanos, sugerem a existência, já então, de uma religião primitiva.
O homem de Neandertal extinguiu-se em época que a ciência não conseguiu fixar com exatidão. Alguns estudiosos atribuem seu desaparecimento à dificuldade de sobreviver aos rigores de um novo período glacial.