Embriologia da pele e anexos - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Embriologia da pele e anexos


 Embriologia

Epiderme
    A pele e seus anexos têm origem dupla: epiderme, pêlos, unhas, glândulas sebáceas e sudoríparas tem origem ectodérmica e a derme tem origem mesodérmica.

    Epiderme: Inicialmente é um epitélio simples cúbico porém com o passar do tempo passa a ter duas camadas, sendo a mais externa constituída por células achatadas. Gradualmente, graças à proliferação e diferenciação da camada mais profunda, ele se torna estratificado pavimentoso córneo, com suas camadas características: basal, espinhosa, granulosa e córnea.

    Deme: Do mesoderma local originam-se fibroblastos que produzem fibras do conjuntivo, vasos sanguíneos e linfáticos e fibras musculares lisas dos músculos eretores do pêlo. O limite entre a derme e a epiderme, antes regular, torna-se irregular, formando saliências, as papilas dérmicas.

    Pêlos: Formam-se pela proliferação da epiderme formando brotos epiteliais que se afunda no mesoderma subjacente. A extremidade de cada broto dilata-se e engloba uma porção do mesoderma formando a papila do pêlo. As células epidérmicas que envolvem a papila proliferam intensamente e se queratinizam, migrando para as superfície da pele formando o pêlo.

    Glândulas sebáceas: Estas estruturas originam-se como divertículos do broto que originará o pêlo, divertículos esses que penetram no mesoderma que os envolve. Essa origem explica por que essas glândulas estão usualmente associadas a folículos pilosos, desembocando em tais estruturas.

    Glândulas sudoríparas: Formam-se à custa de proliferações ectodérmicas, inicialmente sólidas, que se aprofundam no mesoderma. A parte mais profunda do broto enovela-se e forma o corpo da glândula, enquanto o restante transforma-se no seu ducto.
p: