Celulose - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Celulose


 Citologia

A celulose, componente básico dos tecidos vegetais, é útil por suas numerosas aplicações e pelos produtos dela obtidos, como o raiom e o celulóide.
Formada por grandes cadeias de moléculas de glicose, a celulose é um carboidrato complexo polissacarídeo. Ao contrário do amido -- outro polissacarídeo importante -- suas cadeias não são ramificadas e formam fibras alongadas que compõem as paredes das células vegetais, dando-lhes a resistência e rigidez características. É substância quase exclusiva e característica das plantas, pois só um pequeno grupo de animais marinhos, os tunicados, apresentam um composto semelhante, a tunicina.
Características gerais. Insolúvel em água, solventes orgânicos neutros e soluções de álcalis e ácidos diluídos, a celulose se dissolve em ácidos minerais concentrados, alguns hidróxidos e algumas soluções de sais. Decomposta pela ação de ácidos concentrados, dá lugar à glicose. Dentre os poucos organismos que podem decompor a celulose e, a partir dela, produzir substâncias facilmente metabolizáveis, acham-se certas bactérias e microrganismos do solo. O aparelho digestivo dos ruminantes, que se alimentam de ervas, e dos cupins, que se nutrem de madeira, é habitado por microrganismos que possibilitam a digestão da celulose. As enzimas -- moléculas biológicas que ativam as reações no organismo -- que decompõem a celulose chamam-se celulases.
Obtenção e aplicações. Industrialmente, a celulose é extraída da madeira de árvores como o pinho e o abeto ou de plantas herbáceas com grande quantidade de celulose no talo, como a cana-de-açúcar, diversas gramíneas e juncos. O algodão puro é formado em 99,8% de celulose. Outras fibras têxteis, como a juta, o cânhamo, o rami e o linho também possuem grande proporção desse polissacarídeo.
Para se obter a celulose, a matéria-prima (troncos ou talos herbáceos) deve ser limpa e descascada e depois submetida a trituração mecânica em máquinas de lâminas múltiplas. O material triturado é tratado com barrela quente, ou com bissulfito de cálcio ou sulfato de sódio, para dissolver a lignina -- substância que une as fibras da celulose. Posteriormente, o produto é lavado, depurado e embranquecido.
Utiliza-se a celulose na indústria de papel e na extração de fibras artificiais como o raiom, também chamado seda artificial. Obtém-se o raiom por diversos processos, que produzem diferentes tipos de fibra adequados a usos específicos. Assim, por exemplo, o "raiom viscoso", que se obtém pelo aquecimento da celulose com soda cáustica, é misturado ao algodão e outros produtos para fabricar uma grande variedade de tecidos. A partir da celulose fabricam-se também vernizes, explosivos e o celulóide que serve de suporte a filmes fotográficos e cinematográficos.