Besouro - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Besouro


 Artrópodes

A joaninha, de dorso colorido por pontos pretos sobretudo sobre fundo vermelho; a carocha, com mandíbulas semelhantes a chifres; e o pirilampo, capaz de emitir luz, são exemplos do mais variado grupo de insetos, espalhado por quase todo o planeta, de que fazem parte os besouros.
Besouro é a designação comum de vários insetos da ordem dos coleópteros, que compreende pelo menos 250.000 espécies -- talvez 350.000 -- e constitui a maior ordem taxionômica do reino animal. Muitos tipos de coleópteros recebem outros nomes populares, mas o termo besouro é, em geral, considerado equivalente ao termo científico coleóptero. Alguns dos maiores e menores insetos conhecidos pertencem à ordem dos coleópteros. Os ptiliídeos e hidroscafídeos, por exemplo, medem frações de milímetro, enquanto alguns cerambicídeos, como um encontrado na Amazônia, podem alcançar 18cm.


Características. A principal característica dos coleópteros são as asas anteriores duras (élitros), que não servem para o vôo e funcionam como um estojo que cobre e proteje o par de asas posteriores. Daí o nome coleóptero, do grego koleos, "estojo", e pteron "asa". Em alguns casos, as asas são muito diminutas ou de todo ausentes. Outra característica distintiva é o aparelho bucal de tipo mastigador -- ou seja, a boca apresenta mandíbulas bem desenvolvidas. Os demais traços físicos são extremamente variados: forma, tamanho e número de segmentos das antenas; tipos de olhos (por vezes ausentes); forma e estrutura das pernas (adaptadas a funções específicas como nadar, cavar e saltar) etc.
Quanto à forma de reprodução, a maioria das espécies é ovípara. Os ovos são postos em troncos em decomposição, excrementos e diversos outros tipos de ambientes. O ciclo vital dos coleópteros inclui um processo de metamorfose completa (holometabolismo): do ovo surge a larva, que, após algumas ecdises (mudas), se transforma em pupa; esta, após determinado período, dá origem ao inseto adulto. As larvas, geralmente ativas, têm pés e se locomovem.
Também os hábitos dos coleópteros são muito variados: há espécies aquáticas (das quais a maior parte é de água doce), semi-aquáticas e terrestres, de hábitos diurnos ou noturnos. Certas espécies se alimentam de matéria vegetal, como plantas ou madeira de árvores doentes ou mortas. Existem espécies predadoras -- que caçam insetos ou outros animais --, e há aquelas que se nutrem de carne em decomposição ou de excrementos. Alguns coleópteros vivem em associação com outros animais, como formigas ou térmites, ou são parasitas, como os meloídeos.


Classificação. A divisão taxionômica dos coleópteros é complexa e controvertida. A mais recente e aparentemente mais natural, de R. A. Crowson (1955), considera quatro subordens, num total de 153 famílias.


Arcostemados. Considerada a mais primitiva, a subordem dos arcostemados compreende só duas famílias (das quais apenas a dos cupedídeos foi encontrada na região neotropical), com poucas dezenas de espécies. Acredita-se que dela se originaram todos os coleópteros recentes.


Adéfagos. Também primitiva, a subordem dos adéfagos inclui dez famílias, aquáticas (ditiscídeos e girinídeos, por exemplo) e terrestres (carabídeos).


Mixófagos. A subordem dos mixófagos, primitiva e ainda mal conhecida, compreende quatro famílias, com uma centena de espécies diminutas (cerca de um milímetro) e aquáticas. As famílias atuais parecem constituir remanescentes de épocas em que a subordem era largamente difundida.


Polífagos. Reúne a subordem dos polífagos a maioria dos coleópteros recentes: 18 superfamílias e 137 famílias. Na grande superfamília dos escarabeídeos incluem-se os rola-bosta, besouros que usam excrementos de animais para fazerem bolotas nas quais põem os ovos e das quais se alimentam as larvas. Os vagalumes ou pirilampos verdadeiros pertencem à família dos lampirídeos, que apresentam segmentos abdominais luminescentes. Algumas espécies de elaterídeos têm também órgãos luminescentes.
Na família dos dermestídeos há espécies que atacam matéria orgânica em decomposição. Os anobiídeos são pragas, como, por exemplo, o caruncho do fumo. Os cerambicídeos formam uma família grande, que inclui os serra-paus; são em geral vistosos, como o arlequim (Acrocinus longimanus). Os bruquídeos incluem muitas espécies, como os carunchos que atacam grãos armazenados.
Os crisomelídeos são uma das maiores famílias e incluem muitas pragas agrícolas. Os gorgulhos, caracterizados pelo rostro alongado, pertencem à família dos curculionídeos, uma das maiores do reino animal.