As sinapses - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



As sinapses


 Histologia

Todo o nosso organismo é constituído por extensas ramificações dos neurônios, que permitem interligar os órgãos aos centros nervosos que os coordenam como o encéfalo, a medula e os gânglios nervosos.

A região de interligação de dois neurônios, que garante a passagem do impulso nervoso, é a chamada sinapse. É nesta zona que se dá a transmissão e ampliação dos impulsos nervosos.

A sinapse realiza-se entre o axônio de um neurônio e os dendritos de outro neurônio. Nessa região não há um contato direto das ramificações, estas apenas ficam lado a lado.

Quando um impulso nervoso atinge as terminações do axônio, ocorre a libertação de acetilcolina acumulada nas vesículas sinápticas. A substância, vai agir como mediador químico na transmissão do impulso nervoso, e por isso é chamada de neurotransmissor.

O neurotransmissor libertado na fenda sináptica estimula a membrana pós-sináptica, provocando uma modificação na permeabilidade local. Surge então um novo impulso nervoso. É assim que funciona o nosso sistema nervoso, e de sinapse em sinapse, um impulso gerado no nosso cérebro chega ao local de destino, como por exemplo, a contração de um músculo.

O Canal Receptor de Acetilcolina
A acetilcolina é um neurotransmissor que funciona como propagador do impulso nervoso nas fendas sinápticas. Os receptores neuronais de acetilcolina estão distribuídos no sistema nervoso central e periférico onde funcionam tanto pré quanto pós sinapticamente como canais iônicos abertos por ligantes.

Os receptores de acetilcolina são divididos em duas classes: Uma primeira inibida por agonistas nicotínicos e uma segunda insensível a estes agonistas e a alfa neurotoxinas. Quando a acetilcolina é libertada pelos neurônios da placa motora, estimulam células musculares esqueléticas. Os receptores na fibra muscular reconhecem a neuro-hormônio como um sinal para a contração.

A chegada de um impulso nervoso promove a migração sincrônica do conteúdo de cerca de 300 vesículas de acetilcolina elevando a concentração desta na fenda sináptica de 10nM para 500 microM em menos de 1 milissegundo. A ligação da acetilcolina à membrana pós sináptica aumenta a corrente de entrada dos íons sódio e diminui a de saída dos íons potássio, favorecendo a despolarização da membrana pós-sinaptica e disparando o potencial de ação.

O receptor possui 5 subunidades em alfa hélice distribuídas simetricamente em torno do poro: 2 alfa,1 beta, 1 gama e 1 delta. As subunidades alfa possuem o sítio para ligação da acetilcolina. A ligação de duas moléculas de acetilcolina abre transitoriamente o poro o que ocorre em aproximadamente 1000 microssegundos. O canal permanece aberto por cerca de 1 milissegundo pois a acetilcolina é hidrolisada pela acetilcolinesterase que se encontra na membrana pós-sinaptica ligada covalentemente a um grupo glicolipídico.

A forma aberta do canal nunca foi visualizada por ocorrer em espaços muito curtos de tempo. Se a concentração de acetilcolina permanecer alta, o canal fecha espontaneamente em menos de um segundo pois ocorre a dessensibilização do canal a acetilcolina.

3