Artrite - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Artrite


 Patologias

Devido às funções das articulações -- ligações entre os ossos --, os processos inflamatórios que as afetam têm implicações particularmente prejudiciais: perda de mobilidade e dores intensas e constantes.
Artrite é um processo patológico que produz a inflamação de uma ou, mais comumente, várias articulações. Em sentido amplo, é um conjunto de sintomas resultantes de lesões articulares produzidas pelas causas mais variadas. Praticamente, é sinônimo de reumatismo, designação genérica para dor, rigidez ou deformidade de articulações e estruturas vizinhas (músculos etc.). Reserva-se o termo artropatia para lesões articulares em que não ocorre inflamação.


Artrite reumatóide

Também chamada artrite atrófica, deformante, anquilosante, proliferativa crônica ou infecciosa crônica, é doença de origem desconhecida, com sintomas e alterações inflamatórias predominantes nas articulações e estruturas adjacentes. Tem elevada incidência no Brasil, semelhante à dos países de clima temperado e frio. É mais freqüente nas mulheres e nos adultos entre 20 e 45 anos de idade, mas pode também atingir crianças.
A artrite reumatóide clássica caracteriza-se, inicialmente, por manifestações vagas como inapetência, fadiga, emagrecimento e febre. Depois, por alterações articulares (dor, edema, calor e rubor), podendo causar deformidades, principalmente nos joelhos, na coluna, nos dedos das mãos e dos pés. É doença essencialmente poliarticular, simétrica e migratória. As articulações tendem a ficar inflamadas durante semanas, meses ou anos.
Além do exame clínico e radiológico, é importante, no diagnóstico da doença, obter o teste global sorológico (teste do látex) para identificar o fator reumatóide (macroglobulina), presente em 75% dos enfermos. Usam-se tratamentos sintomáticos (antiinflamatórios, relaxantes musculares, analgésicos), curativos (ouro, antimaláricos), especiais (imunossupressores) e complementares, como o forno de Bier, banho de parafina, ondas curtas, ultra-som, infravermelho, massagens, dietas, aparelhos de gesso, calhas, psicoterapia, terapêutica ocupacional, cirurgia etc.


Artrite degenerativa

Também chamada osteartrite, artrite hipertrófica, artrose ou artrite senil, a artrite degenerativa é uma doença crônica caracterizada pela degeneração da cartilagem articular, hipertrofia óssea, dor que aparece com o movimento e melhora com o repouso. Acomete principalmente os joelhos, as articulações coxofemorais e a coluna espinhal. A coluna pode ser afetada no todo ou em segmentos. A osteartrite é doença universal e no Brasil constitui o maior problema reumatológico. As alterações radiológicas só aparecem na terceira ou quarta década da vida.
Não há manifestações gerais nem alterações laboratoriais, como na artrite reumatóide, pois toda a doença se limita às articulações e estruturas vizinhas. O tratamento resume-se em repouso, fisioterapia, analgésicos, evitar traumatismos e combater a obesidade. Em casos avançados, a cirurgia se impõe (retirada de grandes osteófitos, correção ortopédica etc.). A doença não causa invalidez como a artrite reumatóide.


Osteartropatia hipertrófica

Também conhecida como síndrome de Bamberger-Marie, caracteriza-se por: (1) aumento do tamanho das pontas dos dedos, que adquirem a forma de vaqueta de tambor; (2) periostite crônica e (3) artrite. É um conjunto de sintomas e sinais que aparece relacionado com doenças pulmonares (câncer, bronquiectasias, supurações), pleurais, cardíacas, hepáticas, gastrintestinais e outras. Há uma forma hereditária denominada paquidermoperiostose ou síndrome de Touraine-Solente-Golé. O mecanismo de produção da osteartropatia ainda não foi inteiramente elucidado.


Doença reumática

Causada por estreptococos do grupo A de Lancefield, produz manifestações clínicas como poliartrite migratória, dolorosa, que atinge principalmente as grandes articulações. Surgem sob a pele nódulos subcutâneos, indolores, firmes, lisos, móveis, próximo às articulações ou nos pontos de inserção dos tendões. Afora o acometimento articular, há cardite (inflamação de estruturas do coração), coréia (movimentos desordenados, involuntários, sem finalidade), cansaço, febre, epistaxe, sudorese, emagrecimento, palidez etc.
A febre reumática incide em todos os países, em todas as raças e, de preferência, em crianças e adolescentes. A primeira agressão ocorre nas pessoas que tiveram infecções por estreptococos do grupo A, como amigdalites, faringites, otites e escarlatina. A penicilina é o antibiótico ideal na prevenção e no tratamento.


Artrites piogênicas agudas

Com o aparecimento dos antibióticos, a incidência, a patogenia, a evolução e o prognóstico das artrites piogênicas agudas diminuíram e se modificaram. As articulações mais afetadas são as coxofemorais, os joelhos, os ombros e, menos freqüentemente, os tornozelos, cotovelos, as articulações sacrilíacas e os punhos. A doença geralmente é monoarticular. Qualquer germe pode causar artrite piogênica, sendo mais comuns os estafilococos, estreptococos, pneumococos, gonococos, colibacilos e bacilos piociânicos.


Artrite psoriásica

A psoríase é uma doença de pele, de causa desconhecida, caracterizada por erupção eritêmato-escamosa. Incide um pouco mais no sexo masculino, na faixa de 35 a 40 anos de idade. Há grande tendência à ancilose. Os "dedos em lápis" (afinamento das pontas dos dedos) são bastante característicos dessa enfermidade. Costuma haver rigidez e esclerose dos dedos, lembrando até a esclerodermia. É de tratamento difícil.