Abóbora - BioMania
O melhor portal biológico da internet!



Abóbora


 Botânica

Séculos antes da chegada dos europeus, as populações nativas da América já utilizavam a abóbora como alimento. Em sepulturas indígenas na costa do Peru, datadas de 2000 a.C., foram encontradas sementes dessa planta.
A abóbora é uma planta anual e rasteira, da família das cucurbitáceas, com fruto de consistência carnosa e suculenta, revestido por uma casca que pode variar de semibranda a muito dura. As abóboras assumem várias formas: redondas e um pouco achatadas, alongadas, mais ou menos cilíndricas e até mesmo retorcidas. Geralmente lisas, algumas variedades apresentam superfícies rugosas, podendo ser verdes, amarelas, brancas, vermelhas, maculadas ou listradas. Pertencem a esse grupo a abóbora rasteira (Cucurbita moschata) e a moranga (C. maxima). A moranga híbrida é obtida pelo cruzamento da abóbora com a moranga. As abóboras, geralmente consumidas sob a forma de doces ou em diversos pratos salgados, são muito importantes nas dietas, por seu alto teor de caroteno, precursor da vitamina A (350mg/100g na abóbora e 380mg/100g na moranga).
Plantas de clima quente, a abóbora rasteira e a moranga preferem temperatura de 20 a 27o C e não resistem a temperaturas inferiores a 10o C. Adaptam-se a vários tipos de solos, mas dão-se melhor nos argilo-arenosos, bem drenados, leves e de boa fertilidade. O pH adequado para o cultivo da moranga híbrida é de 5,5 a 6,6. São plantadas durante todo o ano em regiões quentes e de agosto a março em regiões de inverno ameno. Em locais sujeitos a geadas, o plantio é feito de agosto a fevereiro.
Já a abobrinha italiana (Cucurbita pepo), ao contrário das outras abóboras, tem ramagem curta e não se espalha pelo chão, por causa de seu crescimento ereto. Essa espécie desenvolve-se melhor em climas quentes, com temperaturas médias de 22 a 25o C; não suportam geadas e frio intenso. Temperaturas muito elevadas são desfavoráveis à polinização e à produtividade. Os melhores solos para seu cultivo são os areno-argilosos, terrenos de baixadas, bem drenados e férteis, com pH entre 6,0 e 6,8. Nas regiões de inverno rigoroso, no hemisfério sul, faz-se o plantio dessa espécie de setembro a fevereiro, nas de clima quente, o ano todo.